"Das várias insanidades do Acordo Ortográfico, saltou-me hoje ao caminho uma das mais aberrantes. Os brasileiros poderão grafar indistintamente óptimo ou ótimo, variantes que o Vocabulário da Academia Brasileira de Letras regista, por não ser uniforme a pronúncia desta palavra no Brasil. Já os portugueses serão obrigados a escrever ótimo.
Agora, agarrem-se bem: num dicionário global da língua portuguesa, óptimo figurará apenas como variante legítima do português do Brasil.
É impressão minha, ou estes gajos passaram-se de vez?"