1/28/2011

Transsexual reverte operação e afirma que precisava de aconselhamento e não mudança de sexo

Finalmente um raio de luz revela a aberração que é a operação para se “mudar” os órgãos sexuais:
Homem que mudou de sexo de modo a passar a ser uma mulher, reverteu a operação e agora diz que a NHS [British National Health Service] deveria parar de fazer operações de mudança de sexo.

Charles Kane, que gastou cerca de £100,000 em operações com o propósito de o tornarem mais parecido com uma mulher, agora afirma que o que ele precisava era de aconselhamento e não de operações cirúrgicas.

A sério? Quem diria. Estou certo que nunca passou pela cabeça de nenhum ser humano que pessoas que resolverem mutilar o seu próprio corpo precisam de aconselhamento.

Que pena que os “médicos” não chegaram a essa conclusão.

Entretanto,

Ficou-se a saber no início deste ano [2010] que um rapaz de 16 passaria a ser a pessoa mais nova de sempre na Inglaterra a mudar o seu sexo.

Numa entrevista a um jornal nacional, Bradley Cooper disse:

As pessoas podem pensar que sou demasiado novo para levar a cabo uma decisão tão importante, mas eu conheço a minha forma de pensar e isto é o que eu quero.

Ele acrescentou ainda que “os médicos disseram que eu preciso da cirurgia como forma de obter paz de espírito.”

Há jovens que resolvem (erradamente) colocar uma tatuagem no seu corpo. Outras há que colocam um piercing. Este jovem de 16 anos decide que está maduro o suficiente para levar a cabo uma operação que lhe vai mudar o corpo de forma drástica e fundamental.

A Inglaterra pós-cristã caminha lentamente para a sua auto-destruição.

Fonte: http://darwinismo.wordpress.com/2011/01/16/transsexual-reverte-operacao-e-afirma-que-precisava-de-aconselhamento-e-nao-mudanca-de-sexo/

Pilares da teoria da evolução: tentativa e erro


Isto explica o porquê das leoas eventualmente tomarem conta das caçadas

Fonte: http://darwinismo.wordpress.com/2011/01/25/pilares-da-teoria-da-evolucao-tentativa-e-erro/

"A Nova Orientação Sexual": Uma mulher, duas crianças e um cão

Krystal-Violet-Norby.jpg


Parece o princípio duma anedota, mas o que se vai reportar não tem nada de cómico.

Chegamos a mais um marco histórico na nossa marcha para a diversidade sexual. Claro que “diversidade sexual” é apenas um eufemismo para a queda da moralidade até as profundezas do inferno.

Krystal Violet Norby, mulher de 25 anos e proveniente de Minnesota foi presa por ter alegadamente tirado fotos dela mesma enquanto tinha relações sexuais com duas crianças e um cão.

De acordo com as notícias provenientes do escritório do Xerife do Município de Chisago*, os detectives começaram a investigação depois de uma unidade da “Child Exploitation” de Toronto (Canada) os ter notificado de um caso de abuso que eles haviam descoberto através de uma rede de partilha de ficheiros.

Esta rede é conhecida pela rapidez na partilha da pornografia infantil.

(* É mesmo assim. Não é um erro da palavra “Chicago”)

Infelizmente para a Norby, a sociedade ainda não normalizou a pedofilia e o bestialismo, portanto ainda há por aí muita pedofobia e muita bestialismofobia. Mas pode ser que quando ela sair da prisão, a sua “orientação sexual” (“imutável” como a homossexualidade, naturalmente) já faça parte do leque de comportamentos sexuais socialmente aceites.

O país irmão já tem programas como “Brasil sem homofobia” portanto pode ser que mais tarde os EUA comecem com “EUA sem pedofobia” ou “EUA sem bestialismofobia”.

Krystal Violet Norby*, pioneira social.

Demasiado avançada para o nosso tempo.

—-

Seria interessante ver que tipo de argumentos os esquerdistas usariam contra a senhorita Norby. Provavelmente seriam coisas deste tipo:

“Isto está errado porque as crianças sofrem.”

Não sabemos a idade das crianças, mas vamos assumir que sim. E depois? Alguns ateus usam o argumento de que a homossexualidade deve ser normal porque acontece entre os animais. Ora, também acontece entre os animais os membros com mais idade alimentarem-se dos mais novos, e, segundo já li, abusarem sexualmente membros mais novos (alguns golfinhos fazem isto). Ser morto ou ser abusado sexualmente causa sofrimento, mas é “natural”. Uma vez que “acontece entre os animais”, deve ser normal, mesmo que cause “sofrimento” aos mais novos, certo?

Além disso, quem disse que o “sofrimento” é a base para classificar comportamentos? Porque não o prazer ou a satisfação? Sem Deus, não há forma de justificar uma sobre a outra.

“Os cães não consentem sexo com os humanos, portanto, não está certo.”

As gazelas também não consentem que sejam devoradas pelos leões, mas acontece., Se acontece, então é normal (lógica esquerdista). Mais uma vez, a validade do “consentimento” é algo que não é possível de se justificar dentro da cosmovisão anti-cristã.

Conclusão:

Notícias deste tipo são coisas que nos deixam horrorizados porque crescemos numa cultura (ainda) judaico-cristã – onde há regras clinicamente e socialmente saudáveis para o comportamento sexual. Mas uma vez que a elite mundial declarou guerra à moral judaico-cristã, o que a sra Norby fez vai ser “normalizado” mais cedo ou mais tarde.

A Palavra de Deus diz:

O que foi, isso é o que há-de ser; e o que se fez, isso se tornará a fazer: de modo que nada há novo debaixo do sol.

ECLESIASTES 1:9

Todos estas novas aberrações sexuais que nós temos vindo a notar nos últimos anos (homossexualidade, bestialismo, promoção da pedofilia por parte de órgãos mundiais) só são “novas” para nós, uma vez que elas são bem antigas. Precisamente devido a coisas como estas (adicionadas ao ocultismo) é que o Senhor destruiu as nações que viviam na Terra de Israel, e mais tarde destruiu o Reino de Judá (enviando os Judeus para o cativeiro da Babilónia).

Quando, pois, o Senhor, teu Deus, os lançar fora de diante de ti, não fales no teu coração, dizendo: Por causa da minha justiça é que o Senhor me trouxe a esta terra, para a possuir; porque pela impiedade destas nações é que o Senhor as lança fora diante de ti.

Não é por causa da tua justiça, nem pela rectidão do teu coração, que entras a possuir a sua terra, mas pela impiedade destas nações o Senhor, teu Deus, as lança fora de diante de ti; e para confirmar a palavra que o Senhor, teu Deus, jurou aos teus pais, Abraão, Isaac e Jacob.

Deuteronómio 9:4-5

Se Deus lidou com estas nações (e com Israel) destruindo os seus reinos, o que é que nos faz pensar que Deus não fará o mesmo com as sociedades “modernas”? Será que o Deus que hoje temos é diferente do Deus de há 3,500 anos ou há 2,500 anos?

Porque eu, o Senhor, não mudo; por isso vós, ó filhos de Jacob, não sois consumidos.

Malaquias 3:6

Bem, aparentemente não; o Deus de hoje é o Mesmo de há 3,500 anos atrás. Isto indica que o Julgamento de Deus sobre a impiedade das nações não deve tardar muito.

“Eis que visitarei sobre vós a maldade das vossas acções“, diz o Senhor.

Jeremias 23:2

Fonte: http://darwinismo.wordpress.com/2011/01/27/uma-mulher-duas-criancas-e-um-cao/

Como ensinar o socialismo a uma criança



Isto não é difícil para uma criança entender uma vez que elas parecem assimilar o conceito rapidamente. Por uma razão ou outra, são os adultos que tem alguns problemas em entender.

Da próxima vez que as crianças vierem à vossa porta pedir “Pão por Deus“, usem essa ocasião como um “momento de aprendizagem”. Quando elas vos baterem a porta e pedirem alguma coisa, peçam para ver o que eles já tem nos seus sacos. Olhem para dentro, vasculhem à vontade, tirem o que vocês quiserem mas não lhes dêem nada em troca.

Quando elas começarem a chorar, expliquem-lhes que elas já tem mais do que precisam e que vocês não tem nada para dar às outras crianças. Como tal, tu vais usar o que eles tem “à mais”. Não te esqueças de dizer isto à medida que vais tirando do seu saco uma caixa de Kit Kat ou outra guloseima que eles tenham recebido durante esse dia.

Cita as palavras de Marx “de cada um de acordo com a sua habilidade, para cada um de acordo com a sua necessidade“. Explica às crianças que isto é o que o Primeiro Ministro Sócrates e o Francisco Loiçã (e praticamente todos na política portuguesa) esperam que os portugueses façam, e que tu, como bom socialista português, apenas estás a seguir a máxima socialista de “redistribuir a riqueza”.

Acho que as crianças vão entender o essencial do socialismo antes que alguém possa dizer “mas isto não é justo!”

Fonte: http://darwinismo.wordpress.com/2011/01/28/como-ensinar-o-socialismo-a-uma-crianca/

Deus não faz matemática vagabunda



Não eram nem 17h03 nem 16h59, mas precisamente 17h, quando César Camacho, diretor do Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada (Impa) tomou o microfone: “É uma honra receber aqui o professor Michael Atiyah, que como vocês sabem é ganhador da Medalha Fields e do Prêmio Abel. O título da palestra dele é ‘Da Física Quântica à Teoria dos Números: Um Geômetra Explora o Universo’. Muito obrigado.” Na plateia, alguém comentou com o vizinho: “Só duas coisas começam na hora no Brasil, jogo no Maracanã e palestra no Impa.” Obrigações com a tevê explicam a pontualidade do Maracanã; no caso do Impa, trata-se tão somente de rigor, um dos bens mais cultivados por ali.

O inglês Michael Atiyah é um senhor baixo, calvo, rechonchudo e extremamente jovial. Se disser que está chegando aos 70, ninguém objetará. (Ele está com 81.) Na beira de um campo de futebol, seria confundido com o médico Lídio Toledo, aquele da Seleção Brasileira. Numa boa churrascaria, poderiam tomá-lo por maître, e ele provavelmente não ligaria se lhe pedissem para trazer logo a fraldinha. A etiqueta, porém, recomendaria pingar um Sir antes do seu nome, pois em 1983 a rainha Elizabeth II o honrou com o título.

Ali no Impa, em todo caso, a real condecoração impressionava bem menos do que a Medalha Fields, a láurea mais prestigiosa da matemática. Atiyah ganhou a sua em 1966, aos 37 anos, pela contribuição que deu à topologia algébrica, área que, em síntese, descreve maneiras de torcer o espaço.

Ele foi logo ao ponto: “Nos últimos trinta anos tem havido uma interação cada vez maior entre a matemática e a física. Minha palestra é sobre isso: física quântica, teoria dos números e o universo. É o pacote completo. E, quando digo universo, refiro-me não apenas às coisas concretas, mas também ao mundo das ideias.” Um garoto de short e chinelo no qual se lia Full Tilt Poker (um dos maiores sites de pôquer do mundo) inclinou o corpo para a frente.

Atiyah, quando fala, lembra um personagem de filme da BBC. Parece estar com um ovo na boca. Suas frases aceleram do meio em diante, como se as palavras, entediadas com o andar da carruagem, decidissem apostar corrida para ver quem chega primeiro ao ponto-final.

Para ouvidos brasileiros, não é fácil. Benditos slides. Acionando a projeção, o matemático disse: “Gosto muito de citações.” Einstein era o autor das três primeiras: Quero saber como Deus criou este mundo. Não estou interessado nesse ou naquele fenômeno. Quero saber como Ele pensa. O resto é detalhe. Era a ambição. Em seguida, veio o espanto: O aspecto mais incompreensível do mundo é o fato de ele ser compreensível.

Atiyah reflete: “Não há nenhuma razão para que o mundo obedeça a leis matemáticas, mas nós acreditamos que é assim. É um ato de fé nosso, que alguns poderiam, com razão, comparar ao sentimento religioso. Até agora nossa aposta tem dado certo, explicamos muitos fenômenos naturais. Mas não está claro por que dá certo.” Durante os 90 minutos seguintes, ele tentaria converter os jovens à fé. Deus é esperto, mas não malicioso – Einstein, ainda. Melhor pensar que, se existe uma ordem, ela não é obra de um espírito irônico que tenha decidido se divertir às nossas custas.

Talvez por passarem a vida contemplando objetos ideais, alguns matemáticos adotam um vocabulário comum aos homens de religião. Naquela tarde, Deus apareceu muitas vezes no Impa. Não ficou claro se Atiyah se referia a um demiurgo engenheiro ou à força ordenadora da natureza; que cada um preenchesse a lacuna segundo as próprias convicções.

O importante era transmitir a absoluta convicção quanto à força epistemológica da beleza: “Se existe uma teoria última do universo, ela certamente é bela”, disse Atiyah, dando voz a uma de suas crenças mais arraigadas: a de que a beleza explica e é um dos indícios da verdade. O belo, para os matemáticos, é a intuição da totalidade. Onde só se viam partes, alguém percebe um corpo. Era disso que ele falava naquela tarde.

Há meio século os cientistas vêm tentando unificar a teoria quântica e a teoria da relatividade – a primeira, sobre o imensamente pequeno; a segunda, sobre o imensamente grande. Somadas, elas descrevem a totalidade dos fenômenos naturais, mas com sintaxe autônoma, como se a linguagem matemática de cada uma se tornasse agramatical no ambiente da outra. Conciliar as duas teorias é o maior problema que um físico pode se dar. Atiyah estava ali para estimular os seus jovens ouvintes a serem ambiciosos.

Não deve causar espanto o fato de que falava para futuros matemáticos, não físicos. Cientistas acreditam que a máquina do universo provavelmente corresponde a uma estrutura matemática. Descoberta essa estrutura, tudo se tornaria inteligível, tal como um palácio se deixa compreender por sua planta baixa. Referindo-se a uma hipótese formulada há 150 anos pelo alemão Bernhard Riemann, Atiyah disse: “Muita gente acredita que...” – agora havia um brilho metafórico nele – “a solução da hipótese de Riemann” – um problema eminentemente matemático, anterior à física moderna – “oferecerá automaticamente a síntese entre a relatividade de Einstein e a física quântica. Refiro-me a uma Teoria Matemática do Universo...” O silêncio do auditório era bom, desses de cortar com uma faca.

Atiyah seguiu assim, falando do sonho da unidade, dos vários caminhos teóricos possíveis, de vários profetas da física contemporânea – cristãos, ortodoxos, hereges... “Pois eu sou o místico. E, como vocês sabem, os místicos sintetizam.” Atiyah sorriu: “Deus não jogaria fora a beleza de todas essas teorias para ficar com uma só.”

Ele não garante que a Teoria Matemática do Universo vá ser encontrada, mas a intuição lhe diz que sim. “É uma linda hipótese, e assim deve ser quando se faz uma previsão. Qual a graça em imaginar que a verdade virá sob a forma de uma teoria horrorosa? Por que Deus faria o universo com base em matemática vagabunda? Não acredito nisso. Se um dia chegarmos a essa conclusão, será uma pena. Em todo caso, significaria apenas que Ele é um péssimo matemático.”

A palestra foi encerrada com os versos “de um poeta famoso, eu mesmo, que só escrevi um poema na vida”. Em poucas linhas, os alunos foram convocados a não abrir mão do rigor – mas só de dia. À noite, devem se libertar dele, para “sonhar, deslumbrados com o milagre dos céus”.

O auditório demorou a esvaziar. Atiyah ficou cercado de jovens de bermuda e chinelo – garotos talentosos, de todas as classes sociais. Queriam uma fotografia.

(João Moreira Salles, Revista Piauí)
 
Fonte: http://www.criacionismo.com.br/2011/01/deus-nao-faz-matematica-vagabunda.html

Igreja Presbiteriana do Brasil jogou a água e agora passa o rodo!




Depois que o supremo concilio da IPB determinou que a Universal, Mundial e Internacional, entre outros cassinos intergaláticos são seitas, não igrejas cristãs, a IPB começa a passar o rodo na pajelança nacional que contamina a IPB, inclusive. Demorou. MUITO:


O uso da dança na liturgia do culto e a consagração de apóstolos estão proibidos na Igreja Presbiteriana do Brasil (IPB). É o que decidiu o Supremo Concílio no final do ano de 2010.

As discussões giraram em torno do culto público e seus elementos. Os líderes debateram a celebração do culto de ação de graças nos cultos dominicais. “A decisão do Supremo Concílio foi não proibir as ações de graças como parte do culto no dia do Senhor, e que o culto deve ter Deus como centro. Ou seja, declarou que as ações de graças fazem parte do culto a Deus, como está na Confissão de Fé da IPB (Westminster) e que o culto não deve virar culto à personalidade, mas Deus é sempre o centro do mesmo”, divulgou o reverendo Augusto Nicodemos em seu blog.

A dança e a nomeação de apóstolos continua proibida. Segundo o Concílio Supremo, na Bíblia, a dança e a coreografia não fazem parte do culto público, por isso, devem ser excluídas da liturgia. Quanto aos apóstolos, a resposta foi de que só são reconhecidos como tais, os Doze Apóstolos de Jesus e Paulo.

Já os cultos de gratidão a Deus aos domingos a noite são permitidos. A decisão é de que todos os cultos devem ter Deus como o centro e que a gratidão a Ele deve estar sempre presente nos domingos.

Ainda foram discutidas questões acerca da comemoração do natal, de práticas neopuritanas e de cantatas com representações teatrais. Segundo o Supremo Concílio, é importante discutir tais detalhes por conta da invasão de novos elementos trazidos pelo neopentecostalismo.

Leia Mais em: http://www.genizahvirtual.com/2011/01/igreja-presbiteriana-do-brasil-jogou.html#ixzz1CLqtDVU6

Under Creative Commons License: Attribution Non-Commercial Share Alike

Fonte: http://www.genizahvirtual.com/2011/01/igreja-presbiteriana-do-brasil-jogou.html?utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed%3A+Genizah+%28Genizah%29

Classificação de países por perseguição - Países em que cristãos mais sofrem perseguição - Onde seguir as palavras do SENHOR JESUS pode custar a própria vida:

1. Coreia do Norte
2. Irã
3. Afeganistão
4. Arábia Saudia
5. Somália
6. Maldivas
7. Iêmen
8. Iraque
9. Uzbequistão
10. Laos
11. Paquistão
12. Eritreia
13. Mauritânia
14. Butão
15. Turcomenistão
16. China
17. Catar
18. Vietnâ
19. Egito
20. Chechênia
21. Comores
22. Argélia
23. Nigéria (norte do país)
24. Azerbaijão
25. Líbia
26. Omã
27. Mianmar
28. Kuweit
29. Brunei
30. Turquia
31. Marrocos
32. Índia
33. Tadjiquistão
34. Emirados Árabes Unidos
35. Sudão (norte do país)
36. Zanzibar (ilha da Tanzânia)
37. Tunísia
38. Síria
39. Djibuti
40. Jordânia
41. Cuba
42. Belarus
43. Etiópia
44. Palestina
45. Barein
46. Quirguistão
47. Bangladesh
48. Indonésia
49. Sri Lanka
50. Malásia / Rússia


Fonte: www.portasabertas.org.br

Um Credo para os Fundamentalistas por Augustus Nicodemus Lopes

É só uma sugestão. Acho que posso sugerir, pois fui criado numa denominação fundamentalista e mesmo que não pertença a ela hoje, continuo a ser chamado assim. Portanto, segundo meus críticos, devo entender razoavelmente do assunto.

Creio na inerrância das Escrituras. Isto não quer dizer que eu creio que a Bíblia foi ditada mecanicamente por Deus, que ela caiu pronta do céu, que sua linguagem é científica, que não há erros nas cópias, que as traduções são inerrantes (especialmente a King James), que as cópias em manuscritos existentes são inerrantes, que a Bíblia é exaustiva e que tudo que está na Bíblia é fácil de entender e interpretar. Quer dizer que eu acredito que os manuscritos originais foram infalivelmente inspirados por Deus e que, em conseqüência, a Bíblia é verdadeira em tudo o que afirma. Creio que pelas cópias existentes podemos ter certeza quase plena do que havia nos originais e que muitas das partes polêmicas e difíceis de interpretar não afetam a compreensão correta do todo.

Creio na divindade de Jesus Cristo. Isso não quer dizer que eu negue sua plena humanidade, a realidade de suas tentações, a sua preocupação com os pobres e as questões sociais. Não quer dizer que eu negue que ele foi gente de verdade, capaz de rir, de chorar, que passou por perplexidades e que aprendeu muita coisa gradativamente como as outras pessoas. Quer dizer tão somente que creio que ele era verdadeiro Deus e verdadeiro homem, muito embora eu não tenha todas as respostas para as perguntas levantadas pela doutrina das suas duas naturezas. Creio que sua morte na cruz tem eficácia para perdoar meus pecados, visto que não era um mero homem morrendo por suas próprias faltas. Sua vida, suas ações e seus movimentos podem servir de modelo para mim, embora sua religião não possa, pois ele não era cristão, como eu já disse em outra postagem aqui no blog.

Creio em todos os milagres que a Bíblia relata. Isso não quer dizer que eu acredite que milagres acontecem todos os dias, que milagres contemporâneos são indispensáveis para que eu acredite em Jesus Cristo, que Deus cura somente pela fé e que tomar remédio e ir ao médico é pecado. Também não quer dizer que eu acredite que os milagres narrados na Bíblia foram coincidências com fenômenos naturais, interpretados pelos antigos como ações de Deus, como uma enchente de barro vermelho no Nilo que parecia sangue, um tremor de terra exatamente no mesmo momento em que Josué mandou tocar as trombetas em Jericó ou um eclipse na hora que ele mandou o sol parar. Quer dizer que eu creio que os milagres bíblicos realmente aconteceram conforme estão escritos, que não são mitos, lendas, sagas, estórias ou midrashes. Creio que Deus, se quisesse, poderia fazê-los todos de novo hoje apesar de que, mesmo assim, os incrédulos continuariam a procurar outras explicações.

Creio na ressurreição física de Cristo de entre os mortos. Isso não quer dizer que eu coloque o corpo acima do espírito e nem que eu seja um ingênuo que ignora o fato que cadáveres não revivem cotidianamente. Também não quer dizer que eu ignore as tentativas de explicações alternativas existentes para o túmulo vazio, a falta do corpo de Jesus até hoje e a mudança de atitude dos discípulos. Também não quer dizer que eu acredito que Jesus hoje apareça diariamente às pessoas. Quer dizer que eu creio que ele realmente ressurgiu dos mortos e que vive eternamente com aquele corpo ressurreto e glorioso, com o qual retornará em data não sabida a esse mundo, para buscar os seus e julgar os demais. Creio que a ressurreição de Cristo é essencial para o Cristianismo. Se Cristo não ressuscitou fisicamente dos mortos, o Cristianismo é uma farsa.

Creio que somente mediante a fé em Jesus Cristo como único Senhor e Salvador é que as pessoas podem ser perdoadas e salvas. Isto não quer dizer que eu desconheça o fato de que existem pessoas de bem, honestas, sinceras e de boa conduta entre aqueles que não acreditam em Deus e muito menos em Cristo. Tampouco quer dizer que todos aqueles que têm fé em Jesus Cristo são perfeitamente bons, justos e santos. O que eu quero dizer é que somos todos pecadores, uns mais, outros menos, uns ostensivamente, outros em oculto, e que somente pela confiança no que Cristo fez por nós é que poderemos ser aceitos por Deus – e não por méritos pessoais. Neste sentido, acredito que fora da fé em Cristo não há salvação, perdão ou reconciliação com Deus.

Creio em verdades absolutas. Isto não quer dizer que eu ignore que as pessoas têm diferentes compreensões de um mesmo fato. Quer dizer apenas que, para mim, quando não se complementam, tais diferentes compreensões são contraditórias e uma delas – ou várias – devem estar erradas. Acredito em absolutos morais, em leis espirituais de natureza universal, em declarações unívocas e também que Deus se revelou de maneira proposicional nas Escrituras.

Creio em tolerância. Isto não quer dizer que eu seja inclusivista e relativista, mas simplesmente que não deixarei de me relacionar com uma pessoa simplesmente porque considero que ela está equivocada teologicamente. Para mim, a tolerância pregada pelo mundo moderno é aquela característica de pessoas que não têm convicções, que não têm opiniões formadas sobre nada e que vivem numa perpétua metamorfose ambulante. Eu acredito que é possível, sim, ter convicções profundas – especialmente na área de religião – e ainda assim se manter o diálogo com quem diverge.
Tem mais coisa a ser incluída neste credo fundamentalista, mas tá bom. O que eu quero mostrar é que tem muita gente que tem o mesmo credo acima, e que é fundamentalista sem saber. Alguns ultra-fundamentalistas vão achar que eu sou liberal.

Fonte: http://tempora-mores.blogspot.com/2011/01/um-credo-para-os-fundamentalistas.html

Sobre o aborto, a FIV e células tronco embrionárias

Dra. Angelica Boldt — exclusivo para o Blog Julio Severo


Você é contra o aborto? Usa o argumento de que a vida começa a partir da fusão nuclear de óvulo e espermatozoide? Então, não pode ser a favor da fertilização in vitro (FIV), no molde como é praticada, na maioria das vezes, em um número crescente de clínicas de fertilidade. Com raras exceções, a FIV se baseia na superovulação materna e resulta na formação de um número maior de embriões do que o que pode ser implantado no útero materno. O que é feito dos embriões excedentes? São congelados para uso futuro, caso a primeira tentativa de implantação não tenha sucesso (o que, infelizmente, é muito comum). Já não é, digamos, muito cômoda a ideia de congelar os próprios filhos, não é? Mas o que fazer com filhos congelados que já não são mais destinados à gestação pelo casal responsável? Destruí-los? Entregá-los à pesquisa com células-tronco? Incinerá-los? A opção mais amena ainda seria ofertá-los a um casal infértil que não pode ter seus próprios embriões. (Nesse caso, é como entregá-los para adoção, e a possibilidade de encontrar um filho com metade da sua constituição genética chamando outras pessoas como pais não é tão remota assim).

O que fazer, então? O conselho que dou a todos os casais amigos que já se depararam com essa alternativa é: não o faça. Confie em Deus! Deixe-o trabalhar. A FIV gera expectativas imensas no casal, especialmente na mulher, e a frustração que se segue a um tratamento infrutífero é gigante e, muitas vezes, pesada demais. Durante o período em que trabalhava em meu doutorado, conheci uma doutoranda que se tornou uma das minhas melhores amigas na Alemanha. Eu a conheci em meio a um momento angustiante, em que ela e o marido haviam decidido optar pela FIV depois de uma gravidez ectópica que resultou na perda de uma das trompas. Embora a outra trompa estivesse íntegra e, portanto, uma gravidez continuasse viável, o médico recomendou a FIV. Pensei comigo: “não faça isso!”, mas o seu tratamento já estava em pleno andamento. Orei e o Senhor me respondeu: “Ela engravidará, mas não será por mãos de homens”.

Acompanhei todo o processo: os efeitos colaterais pela superdosagem hormonal, a alegre sensação de gravidez, seguida pela profunda frustração de uma nidação embrionária malsucedida. Choramos juntas. Contei a ela o que o Senhor havia-me dito e ela o recebeu dizendo: “A minha mãe diz a mesma coisa que você!” Entregamos o sonho de um filho aos pés do Senhor e poucos meses depois, ela estava grávida!

Ainda outro casal muito amigo nosso, que perdeu uma trompa por razão semelhante à anterior e apresentava a outra trompa definitivamente entupida, engravidou semanas depois de a médica recomendar-lhes a FIV.

Entregue a sua situação ao Senhor! Para Ele não há impossíveis. Poderia contar ainda casos e mais casos de tremenda graça e milagres nessa área, e todos, sem exceção, são os resultados da entrega incondicional do “sonho de um filho próprio”.

No entanto, também há casais que sinceramente oraram e ainda aguardam o cumprimento da sua promessa. Deus é o Autor da Vida. Ele a dá e Ele a tira, e tudo faz conforme a sua perfeita vontade. Se optar pela FIV, ao menos não gere embriões pelos quais não pode se responsabilizar. Conheço a história de um casal que precisou retirar uma biópsia do testículo contendo uma só espermatogônia (célula capaz de gerar espermatozoides). O casal não quis ter embriões excedentes. O risco de ter de se submeter à outra biópsia era grande, mas ambos resolveram confiar no Médico dos Médicos, e o embrião resultante da FIV foi implantado com sucesso logo na primeira tentativa!

Finalmente, é importante lembrar: a FIV não é coberta pelos seguros saúde. O fluxo financeiro gerado por esse tratamento é imenso e explica o lobby em torno das células tronco embrionárias. Essas células, ao contrário das células retiradas da medula óssea de um adulto, têm um potencial muito maior de multiplicação. Esse potencial é difícil de controlar. Em outras palavras, é cancerígeno, fato, obviamente, pouco divulgado. Porém: sem FIV com embriões excedentes, não haveria células tronco embrionárias para pesquisa, não haveria polêmica.

O grande problema é: (novamente) nos metemos onde não fomos chamados. Como vamos arcar com essa responsabilidade? O que vamos responder diante do grande Trono Branco? Deus nos guarde, como raça humana, de sermos assim irresponsáveis e egoístas! Filhos não trazem felicidade (assim como o casamento não faz ninguém feliz). Jesus Cristo é o único capaz de nos preencher, e, através do Espírito Santo, nos fazer verdadeiramente felizes. Essa felicidade independe das circunstâncias e está fundamentada numa paz que não é como a paz dada por este mundo. Vamos olhar para Jesus e buscar os seus propósitos, ao invés dos nossos, e “todo o resto nos será acrescentado”! Ele é fiel e justo para nos perdoar e fazer tudo novo! Ele, o Autor da Vida, cria e transforma, e faz da nossa vida uma fonte de água viva. A Ele toda a glória!

Angelica Boldt: Mãe de três filhos (leia-se “milagres” — o pai é considerado infértil e foi advertido, ainda antes de se casar, que jamais teria filhos por meios “naturais”). Doutora em Genética Humana pela Universidade de Tübingen, Alemanha. Atualmente realizando o pós-doutorado em Imunopatologia Molecular no Departamento de Patologia Médica do Hospital de Clínicas, UFPR, Curitiba.

Fonte: http://www.juliosevero.com/

Artigos relacionados:

De onde eu vim? Essa não é mais uma pergunta simples

Não se pode enganar a Mãe Natureza

A realidade mortal do sacrifício de irmãos na fertilização in vitro

Cientistas admitem que FIV elevou índice de anormalidades

80 bebês de proveta são abortados por ano

Admirável Novo Mundo: Sexo para bebês será obsoleto em dez anos, gabam-se pesquisadores

Fonte: http://juliosevero.blogspot.com/2011/01/sobre-o-aborto-fiv-e-celulas-tronco.html

A técnica da rotulação inversa

pelo filósofo Olavo de Carvalho
Miguel Nicolelis é professor de neurociências na Duke University (EUA), fundador do Instituto de Neurociências Edmond e Lilly Safra (Macaíba, RN) e membro das Academias de Ciências do Brasil e da França. A esse currículo notável acrescentou-se recentemente sua nomeação, pelo Papa Bento XVI, para a Pontifícia Academia de Ciências do Vaticano. O site Viomundo, do jornalista Luiz Carlos Azenha, apresenta-o agora em formato ainda mais atraente: o cientista seria vítima indefesa de uma vasta campanha de ódio e intimidação movida pela sempre abominável “extrema direita”.

Chocado e amedrontado ante a virulência assassina da campanha, o prof. Nicolelis, no tom de bom-mocismo que deve caracterizá-lo como um adepto incondicional do debate livre e democrático, alerta para os perigos da radicalização ideológica:

“O seu adversário político, ideológico, passa a ser o seu inimigo. E esse inimigo é passível de qualquer tipo de punição, até mesmo a morte. Eu não consigo imaginar que essas pessoas que propagam mensagens de ódio, vingança, violência, podem ao mesmo tempo se dizer cristãs.”

Mas em que consistiu, afinal, a mortífera campanha? Consistiu em duas coisas: Primeiro, uma notícia de dez linhas, publicada no site Rorate Coeli em 5 de janeiro (v. http://rorate-caeli.blogspot.com/2011/01/pope-names-pro-abortion-and-pro-gay.html ), dando ciência de que o Prof. Nicolelis era um ardente defensor do abortismo e das políticas gayzistas (bem como, no ano passado, da candidatura Dilma Rousseff), sendo portanto um pouco estranha a sua presença numa instituição vinculada à Igreja Católica. Depois, um (1, hum) artigo escrito pelo jornalista americano Matthew Cullinan Hoffman, publicado no site Last Days Watchman (v. http://www.lifesitenews.com/news/defender-of-pro-abortion-and-homosexualist-policies-appointed-to-vaticans-a ) e depois reproduzido com ou sem acréscimos e comentários nuns poucos sites cristãos, entre os quais a versão brasileira de Lifesitenews, Notícias Pró-Família, dirigida pelo escritor brasileiro Júlio Severo (voltarei a falar dele mais adiante). Hoffman, que é católico, comentava: “O Papa Benedito XVI é um inflexível defensor do direito à vida e dos valores da família, sendo improvável que ele estivesse ciente da biografia de Nicolelis ao indicá-lo para a Academia.”

Houve qualquer ameaça, qualquer esboço de planos agressivos? O prof. Nicolelis confessa: Não, não houve.

Contra aquelas expressões de discordância perfeitamente inofensiva, como reagiu o Prof. Nicolelis? Debatendo com os adversários? Que nada. Ele próprio descreve os seus procedimentos argumentativos:

“O pessoal do meu laboratório contatou a Duke, alertou sobre esses sites e a polícia da universidadade já começou a monitorar o caso. A segurança do meu laboratório foi reforçada... Ninguém chega lá sem passar pela segurança.”

E adverte: ao primeiro sinal de ameaça no Brasil, chamará imediatamente a Polícia Federal.

Dentre os potenciais agressores do prof. Nicolelis denunciados pelo site Viomundo, um dos principais já está sob controle. Júlio Severo, procurado pela polícia brasileira pelo crime hediondo de ter dito e insistido que o homossexualismo é pecado e tem cura, está escondido no exterior, trocando de país como quem troca de cuecas, vivendo em extrema penúria com mulher e quatro filhos pequenos. O repórter Luiz Carlos Azenha menciona esse fato com evidente satisfação. Celebra-o também, como sinal dos progressos da democracia no Brasil, o site Fórum, do colunista Luís Nassif (http://blogln.ning.com/forum/topics/homofobia-em-preto-e-branco?page=1&commentId=2189391%3AComment%3A502681&x=1#2189391Comment502681 ).

As premissas lógicas embutidas nas declarações do Prof. Nicolelis e nas reportagens dos sites Viomundo e Fórum não poderiam ser mais evidentes:

1) Dizer qualquer palavra contra o homossexualismo, mesmo de maneira genérica e desacompanhada de qualquer ameaça, é incitação à violência, coisa indigna de pessoas que se dizem cristãs.

2) Um cidadão esclarecido, amante do debate livre e democrático, deve reagir a essas opiniões exibindo-se em público como vítima iminente de atentado, chamando a polícia e fazendo com que os desgraçados opinadores sejam perseguidos como bandidos, acossados como ratos.

A reação brutalmente exagerada, espera-se, induzirá o distinto publico a acreditar piamente que violentos são aqueles que emitiram as opiniões, não aqueles que mobilizaram contra eles a força armada do aparato repressor.

Se o leitor queria uma ilustração local do que escrevi sobre a técnica da rotulação inversa, aí está.

O emprego constante e obsessivo dessa técnica é uma das manifestações mais corriqueiras da inversão geral da realidade, característica da mentalidade revolucionária.

Não por coincidência, mas muito significativamente, o prof. Nicolelis, algum tempo atrás, andou esbravejando contra a “direita histérica”. Histeria, por definição, é reação hiperbólica a algum estímulo imaginário e postiço. Quando o prof. Nicolelis reage histericamente, histéricos são portanto os outros.

Versão em inglês: The technique of reverse labeling

Versão em espanhol: La técnica de la rotulación inversa

Fonte: Diário do Comércio

Divulgação: http://www.juliosevero.com/

Matilha de jornalistas esquerdistas ataca Julio Severo

União de Blogueiros Evangélicos entrevista Julio Severo

Proeminente ativista pró-família Julio Severo foge do Brasil para escapar de acusações de “homofobia”

ABGLT entra com ações legais por crime de ódio contra Julio Severo e outros cristãos brasileiros

Pastor quer BBB no paredão

Metodista propõe boicote a programa da Rede Globo


Pastor quer BBB no paredão


Foi dada a largada! Desde o último dia 11 de fevereiro, milhões de brasileiros estão na frente das telinhas para ver o reality show mais esperado do ano. Isso mesmo! Refiro-me ao Big Brother Brasil 11, o BBB, programa que chega a sua 11ª edição exibido na Rede Globo de Televisão todos os dias durante três meses ao ano. A intenção desta carta é trazer a você, caro leitor(a), esclarecimentos sobre o reality show que tem influenciado milhares de pessoas, inclusive os cristãos.


A atmosfera de Sodoma e Gomorra, conforme descrita na Bíblia tem invadido os lares brasileiros sem pedir licença, com cenas imorais, atos sexuais, palavras chulas, gestos obscenos e comportamentos condenáveis há cerca de dez anos. Mas nesta edição, a coisa parece ter ficado um pouco pior. Com medo de perder a audiência para outras emissoras, a Globo logo no primeiro dia do programa deixou claro que o BBB não terá limites.

Basta ver a declaração do diretor do “Grande Irmão”, J. B. Oliveira, o Boninho, "hora de ir para o hotel passar as regras com os brothers e avisar que vale pancadaria (a frase não foi colocada na íntegra aqui) para ganhar o prêmio”. Em outras palavras, para faturar o prêmio de R$ 1,5 milhão, vale mesmo tudo, inclusive agressões físicas.

Como se não bastasse a orientação absurda de Boninho aos participantes, o diretor do programa ainda incluiu neste ano o “sabotador” na casa. Esse (a) personagem ou pessoa será o/a responsável por atrapalhar o grupo de ganhar dez mil reais. Mais um motivo de divisão entre eles/elas.

E tem mais, que tipo de emoções e desejos um capítulo de BBB produz num/numa adolescente ou jovem solteiro(a)? Que tipo de estímulos e valores um programa desses produz num/numa jovem cristão que procurará se manter virgem até o seu casamento? O que eles/elas têm vontade de fazer após assistir BBB? Orar? Acho que não.

Não é de se estranhar que em nossas igrejas tenhamos tantas pessoas "ficando", viciadas em masturbação e inclusive solteiros com vida sexual ativa (como mostrou uma pesquisa da Revista Eclesia, 52% dos jovens evangélicos brasileiros confessam haver tido relação sexual antes do seu casamento).

O Inspirador do Big Brother Brasil

O mais famoso romance George Orwell, “1984”, trás no rodapé da capa do livro os seguintes dizeres: Big Brother is watching (Grande Irmão está vigiando você). O livro foi escrito no ano de 1948, mas por força dos editores, o título foi invertido para 1984.

O livro narra o "futuro" na Pista de Pouso Número ou Inglaterra, parte integrante do megabloco da Oceania. É comum o conflito dos leitores com o continente homônimo real.

O megabloco superficial de Orwell tem este nome por ser uma adesão de países de todos os oceanos. O tema principal de 1984 é a transformação da realidade. Não seria esse também o propósito das onze edições do Big Brother Brasil exibidos pela Rede Globo?

Voltando ao livro, fingida de democracia, a Oceania existe em um totalitarismo desde que o IngSoc (o Partido) chegou ao poder sob a liderança do onipresente Grande Irmão (Big Brother). Contado em terceira pessoa, o livro narra à história de Winston Smith, membro do partido externo, empregado do Ministério da Verdade. O cargo de Winston é reescrever e distorcer informações de acordo com a importância do Partido. Nada muito distinto de um historiador ou jornalista. Winston interroga a opressão que o Partido desempenhava nos cidadãos. Se alguém refletisse diferente, cometia crimidéia (crime de ideia em novilíngua) e fatalmente ele desaparecia, ou seja, a pessoa era capturada pela Polícia do Pensamento e extinta. Paredão nele!

A intenção de Orwell era apresentar um futuro fundamentado nas aberrações do presente. Winston Smith e todos os cidadãos tinham ciência que qualquer atitude suspeita poderia expressar seu fim, e não apenas sair de um programa de tv com o bolso cheio de dinheiro, mas desaparecer de fato. Não é o que acontece no BBB? Os participantes ficam se policiando nas palavras porque qualquer atitude por gestos ou palavras, pode servir contra eles mesmos. No livro, os vizinhos e os próprios filhos eram incentivados a denunciar às autoridades quem cometesse crimideia.

Para expressar suas emoções, Winston escreve todos os dias em seu diário usando o canto "cego" do apartamento. Somente assim, ele não era flagrado pela teletela.A primeira frase que Winston escreve em seu diário é atual e justificável: abaixo o Big Brother!

Há uma intenção por trás do BBB que é nivelar toda a sociedade de tal forma que as pessoas achem que “tudo é normal”. Sinceramente, está na hora de colocar o BBB no paredão. Reflita: vale a pena assistir o BBB 11? Não deixe que a mídia influencie seus pensamentos.

Pr. José Geraldo Magalhães Jr

Fonte: Creio
Fonte: http://www.cpadnews.com.br/integra.php?s=12&i=7115

Chico Xavier não era cristão!




Por: Antônio Carlos Costa


O Chico Xavier não era cristão. Não estou usando o adjetivo como sinônimo de gente boa. Cristão é o nome que é dado aos discípulos de Cristo -aqueles que procuram imitá-lo e submeter sua vida intelectual a ele.

Cristo nunca ensinou que estamos pagando nessa vida pelos pecados que praticamos numa vida da qual não nos lembramos. Jamais vimos, um discípulo seu, ser estimulado a buscar contato com seres humanos mortos. Quem anda com Cristo prefere a presença do Espírito Santo.

Não há um só relato sequer nos evangelhos de sessões mediúnicas. Nenhum discípulo jamais passou pela experiência súbita de despersonalização -em razão de haver sido possuído pelo espírito de um ser humano morto. Só vemos os discípulos recebendo o Espírito Santo, que quando veio sobre eles, os tornou mais eles do que eles jamais o foram, uma vez que o que neles havia de melhor se manifestou.

Quando os discípulos escreviam, tratavam de orar, pensar e contar com seus próprios pensamentos e obra de revelação do Espírito Santo. Não havia psicografia, mas iluminação que respeitava sua individualidade. Os 27 livros do Novo Testamento mostram as características individuais de cada um. Todos foram honrados pelo Deus que se agradava em usá-los, a partir da revelação única que fazia de si mesmo por meio da singularidade da vida dos seus servos.
Eles não aguardavam reencarnação. Se alguém lhes dissesse que suas esperanças consistiam num retorno para esse presente mundo de injustiça e miséria, eles chorariam amargamente, uma vez que todos aguardavam novos céus e nova terra.

Eles praticavam obras de amor, mas jamais com o intuito de retornarem para uma vida melhor após a morte. Eles dependiam do sangue de Cristo para o perdão de pecado, e o bem que faziam, faziam-no porque amavam a Deus, e encontravam-se em estado de encanto, gratidão e espanto com o amor que lhes fora revelado na cruz.

Em suma, Chico Xavier não era cristão, pois ensinava espiritismo, não cristianismo.

Pastor Antônio Carlos Costa é teólogo calvinista
Via: [ Genizah ]/[ Web Evangelista ]

Fonte: http://bereianos.blogspot.com/2010/04/chico-xavier-nao-era-cristao.html

Max Planck 'falou e disse': a solução biológica é que vai renovar a ciência -- morram!!!



“Uma nova verdade científica não triunfa por convencer seus oponentes e fazê-los ver a luz, mas antes porque seus oponentes morrem eventualmente, e uma nova geração cresce que é familiar com ela” - Max Planck






“A new scientific truth does not triumph by convincing its opponents and making them see the light, but rather because its opponents eventually die, and a new generation grows up that is familiar with it” - Max Planck

+++++

TRADUZINDO EM GRAÚDOS:

Planck disse -- solução biológica -- morram velhos da Nomenklatura científica! para dar lugar aos novos cientistas e suas ideias novas para a ciência avançar sem impedimentos ideológicos do materialismo filosófico.


Fonte: http://pos-darwinista.blogspot.com/2011/01/max-planck-falou-e-disse-solucao.html

O cientificismo é uma coisa boa para a ciência?



Susan Haack's paper Six Signs of Scientism. FREE DOC GRATIS

Susan Haack Seis signos de Cientismo [Español] FREE PDF GRATIS


You might also like/Você pode gostar também de:


A origem da vida? Não sabemos, mas especulamos, e isso é ciência, o resto é irracionalidade

Sobre a importância da ciência, artigo de Marcelo Gleiser

Ciência é o melhor caminho para se entender o mundo, afirma Isaac Roitman

Jornalistas científicos: mais que tradutores


Fonte: http://pos-darwinista.blogspot.com/2011/01/o-cientificismo-e-uma-coisa-boa-para.html

Qual a diferença? Masculinidade e Feminilidade! Leitura Obrigatória para uma sociedade com crise moral!


Assistir ao BBB é ... destruir o que ainda resta dos valores sobre os quais foi construído nossa sociedade

Crônica de Luiz Fernando Veríssimo sobre o "BBB"


Que me perdoem os ávidos telespectadores do Big Brother Brasil (BBB), produzido e organizado pela nossa distinta Rede Globo, mas conseguimos chegar ao fundo do poço...A décima terceira (está indo longe!) edição do BBB é uma síntese do que há de pior na TV brasileira. Chega a ser difícil, encontrar as palavras adequadas para qualificar tamanho atentado à nossa modesta inteligência.

Dizem que Roma, um dos maiores impérios que o mundo conheceu, teve seu fim marcado pela depravação dos valores morais do seu povo, principalmente pela banalização do sexo. O BBB 11 é a pura e suprema banalização do sexo. Impossível assistir, ver este programa ao lado dos filhos. Gays, lésbicas, heteros... todos na mesma casa, a casa dos “heróis”, como são chamados por Pedro Bial. Não tenho nada contra gays, acho que cada um faz da vida o que quer, mas sou contra safadeza ao vivo na TV, seja entre homossexuais ou heterosexuais. O BBB 11 é a realidade em busca do IBOPE..

Veja como Pedro Bial tratou os participantes do BBB 11. Ele prometeu um “zoológico humano divertido” . Não sei se será divertido, mas parece bem variado na sua mistura de clichês e figuras típicas.

Se entendi corretamente as apresentações, são 15 os “animais” do “zoológico”: o judeu tarado, o gay afeminado, a dentista gostosa, o negro com suingue, a nerd tímida, a gostosa com bundão, a “não sou piranha mas não sou santa”, o modelo Mr. Maringá, a lésbica convicta, a DJ intelectual, o carioca marrento, o maquiador drag-queen e a PM que gosta de apanhar (essa é para acabar!!!).

Pergunto-me, por exemplo, como um jornalista, documentarista e

escritor como Pedro Bial que, faça-se justiça, cobriu a Queda do Muro de Berlim, se submete a ser apresentador de um programa desse nível.

Em um e-mail que recebi há pouco tempo, Bial escreve maravilhosamente bem sobre a perda do humorista Bussunda referindo-se à pena de se morrer tão cedo.

Eu gostaria de perguntar se ele não pensa que esse programa é a morte da cultura, de valores e princípios, da moral, da ética e da dignidade.

Outro dia, durante o intervalo de uma programação da Globo, um outro repórter acéfalo do BBB disse que, para ganhar o prêmio de um milhão e meio de reais, um Big Brother tem um caminho árduo pela frente, chamando-os de heróis. Caminho árduo? Heróis?



São esses nossos exemplos de heróis?

Caminho árduo para mim é aquele percorrido por milhões de brasileiros, profissionais da saúde, professores da rede pública (aliás, todos os professores), carteiros, lixeiros e tantos outros trabalhadores incansáveis que, diariamente, passam horas exercendo suas funções com dedicação, competência e amor, quase sempre mal remunerados..

Heróis, são milhares de brasileiros que sequer têm um prato de comida por dia e um colchão decente para dormir e conseguem sobreviver a isso, todo santo dia.

Heróis, são crianças e adultos que lutam contra doenças complicadíssimas porque não tiveram chance de ter uma vida mais saudável e digna.

Heróis, são inúmeras pessoas, entidades sociais e beneficentes, ONGs, voluntários, igrejas e hospitais que se dedicam ao cuidado de carentes, doentes e necessitados (vamos lembrar de nossa eterna heroína, Zilda Arns).

Heróis, são aqueles que, apesar de ganharem um salário mínimo, pagam suas contas, restando apenas dezesseis reais para alimentação, como mostrado em outra reportagem apresentada meses atrás pela própria Rede Globo.

O Big Brother Brasil não é um programa cultural, nem educativo, não acrescenta informações e conhecimentos intelectuais aos

telespectadores, nem aos participantes, e não há qualquer outro

estímulo como, por exemplo, o incentivo ao esporte, à música, à

criatividade ou ao ensino de conceitos como valor, ética, trabalho e moral.





E ai vem algum psicólogo de vanguarda e me diz que o BBB ajuda a "entender o comportamento humano". Ah, tenha dó!!!

Veja o que está por de tra$$$$$$$$$$$$$$$$ do BBB: José Neumani da Rádio Jovem Pan, fez um cálculo de que se vinte e nove milhões de pessoas ligarem a cada paredão, com o custo da ligação a trinta centavos, a Rede Globo e a Telefônica arrecadam oito milhões e setecentos mil reais. Eu vou repetir: oito milhões e setecentos mil reais a cada paredão.

Já imaginaram quanto poderia ser feito com essa quantia

se fosse dedicada a programas de inclusão social, moradia,

alimentação, ensino e saúde de muitos brasileiros?

(Poderia ser feito mais de 520 casas populares; ou comprar mais de 5.000 computadores!)

Essas palavras não são de revolta ou protesto, mas de vergonha e indignação, por ver tamanha aberração ter milhões de telespectadores.

Em vez de assistir ao BBB, que tal ler um livro, um poema de Mário Quintana ou de Neruda ou qualquer outra coisa..., ir ao cinema..., estudar.... , ouvir boa música..., cuidar das flores e jardins... ,telefonar para um amigo... , visitar os avós... , pescar..., brincar com as crianças... , namorar... ou simplesmente dormir.

Assistir ao BBB é ajudar a Globo a ganhar rios de dinheiro e destruir o que ainda resta dos valores sobre os quais foi construído nossa sociedade
 
Fonte: recebido por e-mail

10 Sintomas de “LOBISMO” Eclesiástico

Por Franklin Rosa




Os profetas profetizam falsamente, e os sacerdotes dominam pelas mãos deles, e o meu povo assim o deseja: e que fareis no fim disto? Jeremias cap. 5 vs. 31

Aos críticos gratuitos da crítica analítica, devo-lhes dizer uma coisa: É simplismo e superficialidade dizer que não devemos julgar (criticar e apontar desvios de caráter e conduta), se assim fosse, estaria anulado todo ministério dos profetas, juízes, apóstolos e do próprio Senhor Jesus que vieram com o dedo em riste denunciando as falcatruas da religião.

“LOBISMO”, foi a terminologia que adaptei, para caracterizar os “LOBOS”, ministros (servos e escravos, nada mais que isso), que perderam a visão de “despenseiros” do Reino, tornando-se mercenários da fé.

Assim como no post anterior “7 dicas para manipular uma Igreja”, essa catalogação é fruto de anos de observação e indignação com aquilo que chamam de “ministério” no meio evangélico.

“Ministérios” esses que na sua grande maioria, são resultado da necessidade de auto-afirmação ou, na sua face mais vil mercenarismo puro.

Essas evidências, identificam aqueles que perderam a paixão voluntária pelo ministério, e tornaram-se profissionais frios e calculistas de um cargo eclesiástico em benefício de si mesmo.

Qualquer semelhança aqui exposta, não é mera coincidência, são constatações factuais.

1º Gostam de poder, mas estranhamente se recusam a servir. Como amam falar em línguas estranhas, profetizar, revelar e demais peculiaridades do gênero (obs. Eu creio na contemporaneidade dos dons sobrenaturais). Mas tudo isso é canalizado para a promoção pessoal, pois não mostram o mesmo empenho na hora de dar atenção ao ser humano que precisa de um ombro humano para dividir suas mazelas.

2º Valorizam programações, mas menosprezam relacionamentos. Participam de todos os congressos, campanhas e eventos que lhe rendam marketing, mas não gostam de relacionamentos inter-pessoais com medo de ficarem vulneráveis e serem descobertos, ou por receio de tornarem-se meros mortais desgastando a auto-imagem.

3º Gostam de entradas triunfais, mas a saída tem de ser à francesa. Entram com a reunião começada e saem com ela terminada. São espalhafatosos em sua apresentação pública mas a saída tem que ser de “fininho” para não correrem o risco de atender alguém. Gostam de provocar expectativa em seus ouvintes para manter vivo o “mito” (valorização do mensageiro em detrimento da mensagem).

4º Esbanjam muito carisma, mas na mesma proporção lhes falta caráter. São de fácil comunicação e apresentação em público, mas é nos bastidores da vida onde cai a máscara e é revelado a podridão do ser. Casamentos e famílias falidas, vida financeira desregrada, politicagem eclesiática e secular a base de troca de favores, são só alguns exemplos da desfaçatez de valores éticos desses personagens.

5º Idolatram títulos eclesiásticos, não admitem serem chamados pelo nome. Sim senhor, não senhor, apóstolo, bispo, pastor, reverendo é essencial se quiser manter um bom relacionamento com “Sua Santidade”, caso contrário ficará relegado a indiferença ou serás responsável por um surto de crise de identidade na celebridade gospel.

6º Nas assembléias disputam os primeiros assentos, manter a pose é prioridade. Não lhe tome o assento de honra. Ele é capaz de te expor, envergonhar, difamar e até brigar em público para sair bem na foto.

7º Suas mensagens são sempre bombásticas, holofotes voltados pra si é questão de sobrevivência. A prédica deles mais se parece com produção “hollywoodyana”. Matrix, Jornada nas estrelas, Ghost, parecem produções de fundo de quintal perto de suas apresentações espetaculares. Não conseguem trafegar no normal (ordinário), somente no bombástico (extra-ordinário) que cause admiração (frenesi) nos seus espectadores.

8º Fazem de tudo para serem solicitados, mas o cachê tem de ser pré-combinado e pré-depositado. Aqui, vale até propaganda em rádio pirata. Tudo para a divulgação do “EUVANGELHO”. Mas nem pense em recolher uma oferta voluntária após a reunião, que você está fadado a ficar na mão.

9º Em suas preleções não faltam trilha musical, manipular emoções é fundamental. Histeria é alvo inegociável. Trilha sonora “Home Theater” manipulada por um sonoplasta com aumento de volume nas frases de efeito e diminuição nos momentos de comoção, fazem parte do show. Proporcionar uma reunião narcotizante, que mexa com as emoções, e tire o povo da realidade diminuindo a capacidade de raciocinar nem que seja por algumas horas, é sua especialidade.

10° Mostram zelo excessivo com as ovelhas gordas, descaso total com as ovelhas magras. Preocupam-se com o sofrimento dos irmãozinhos “empresários” que não tem quem lhes defenda, mas os irmãos mais pobres que já são experimentados na fé, esses se viram sozinhos. Como diria o “Justo Veríssimo”, personagem do Chico Anísio: “Eu quero que pobre se exploda!”.

A lista é suscinta para dar a oportunidade de interação a aqueles que já observaram tais desvios e sintomas e querem colaborar com as constatações para ampliarmos as informações no combate a essa doença crônica...
 
Fonte: http://conexaodagraca.blogspot.com/2011/01/10-sintomas-de-lobismo-eclesiastico.html

Professores e Pesquisadores Calvinistas - BOLSA de Pós-Doutorado em Genômica Funcional e Comparativa em Fungos

Pós em genômica com Bolsa da FAPESP


Agência FAPESP – O Laboratório de Genética e Biologia Molecular de Fungos da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo prorrogou para o dia 11 de fevereiro o prazo para inscrições para uma vaga de Bolsa de Pós-Doutorado.

A oportunidade está inserida no Projeto Temático "Genômica Funcional e Comparativa em Fungos", apoiado pela FAPESP, e tem como objetivo estudar os mecanismos moleculares envolvidos na interação dermatófito-hospedeiro.



Projeto Temático na Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da USP prorroga até o dia 11 de fevereiro inscrições para pós-doutoramento

Os candidatos devem ter título de doutor e experiência em técnicas de biologia molecular (amplificação, clonagem, sequenciamento, expressão gênica, nocaute gênico). É desejável fluência em inglês e experiência em bioinformática.

Os interessados devem enviar carta de apresentação com: motivações quanto à função; breve relato da experiência profissional; curriculum vitae atualizado; nomes e e-mail de dois profissionais para referências.

A documentação deverá ser enviada em arquivo em formato PDF para Nilce M. Martinez-Rossi (nmmrossi@usp.br), coordenadora do Projeto Temático.

A vaga está aberta a brasileiros e estrangeiros. O selecionado receberá Bolsa de Pós-Doutorado da FAPESP no valor de R$ 5.028,90 mensais por 24 meses.

Outras vagas de Bolsas de Pós-Doutorado, em diversas áreas do conhecimento, estão no site FAPESP-Oportunidades, em http://www.oportunidades.fapesp.br/

You might also like/Você pode gostar também Fonte: http://pos-darwinista.blogspot.com/2011/01/pos-em-genomica-com-bolsa-da-fapesp.html

1/26/2011

Um homem que andou com Deus!

“E andou Enoque com Deus, depois que gerou a Metuselá, trezentos anos; e gerou filhos e filhas. E foram todos os dias de Enoque trezentos e sessenta e cinco anos. E andou Enoque com Deus; e não se viu mais, porquanto Deus para si o tomou", Gn 5.22-25

Você conhece aquele provérbio que diz “Dize-me com quem andas e dir-te-ei quem és?” Com quem você tem andado ultimamente? Só, mal acompanhado? A Bíblia diz que “as más companhias corrompem os bons costumes”.

Realmente, jovens têm se corrompido por causa das más companhias. Mulheres casadas têm destruído o lar por causa das más companhias, alguns homens também.

O texto nos fala de um homem que andou com Deus. Qual foi o resultado desse andar?

Antes de respondermos à pergunta queremos dar algumas informações sobre Enoque. Foi o sétimo homem depois de Adão. Seu nome significa “oferenda, consagração”. Enoque era um homem consagrado a Deus numa época de impiedade.

O que é um homem consagrado a Deus? É alguém que vive continuamente no âmbito da vontade de Deus. Três coisas observaremos na pessoa de Enoque.

I. Em primeiro lugar a sua fé. Em Hebreus 11: 05 lemos: “Pela fé Enoque foi trasladado para não ver a morte”. Enoque foi arrebatado por causa da sua fé em Deus. A Bíblia fala do arrebatamento da Igreja e somente chegaremos ao arrebatamento pela fé.

II. Em segundo lugar o seu testemunho. Qual era o testemunho de Enoque? “Eis que é vindo o Senhor com milhares dos seus santos”. Judas 1: 14,15. Quem crê em Deus e anda com Ele vê as intenções futuras de Deus. Ele tem que anunciar a vinda do Senhor. Esta era a preocupação da Igreja Primitiva. O apóstolo Paulo testemunhou: “Porquanto Deus tem determinado um dia em que com justiça há de julgar o mundo, por meio do varão que destinou; e disso deu certeza a todos, ressuscitando-o dos mortos”. Atos 17: 31.

Ouçamos o testemunho do apóstolo Pedro. “Mas o dia do Senhor virá como o ladrão de noite; no qual os céus passarão com grande estrondo e os elementos, ardendo, se desfarão, e a terra, e as obras que nela há, se queimarão”. II Pedro 3: 10. Assim termina o Apocalipse: “Aquele que testifica estas coisas diz: Certamente cedo venho, Amém. Ora vem, Senhor Jesus”. Apocalipse 22: 20.

III. E em terceiro lugar queremos tratar do andar de Enoque com Deus. Enoque andou com Deus em tempos difíceis. O livro do Gênesis, capítulo 6, versículos 5 e 11, nos dá um panorama daquela época. “... a maldade do homem se multiplicara sobre a terra e a imaginação era má continuamente”. “A terra, porém, estava corrompida diante da face de Deus; e encheu-se a terra de violência”.

O nosso tempo é igual. Apesar de tudo, Enoque andava com Deus. Ele discernia bem as coisas. Como é o andar com Deus?

a. Em primeiro lugar é manter um constante diálogo com o Senhor. Em Filipenses 3: 20 nós lemos: “Mas a nossa cidade está nos céus, donde também esperamos o Salvador, o Senhor Jesus Cristo”. Em I Pedro 1: 15,16: “Mas, como é santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em toda a vossa maneira de viver; Porquanto escrito está: sede santos, porque eu sou santo”. Como posso manter esse diálogo com Deus? Leitura da Bíblia e Oração.

b. Em segundo lugar, acompanhar os passos de Deus de maneira santificada. Como se deve andar com o Senhor Jesus? Do modo como está escrito em I João 2: 6: “Aquele que diz que está nele, também deve andar como ele andou”. Isto é, nem muito rápido, nem muito devagar. Para se andar “com alguém” tem que se andar ao lado dele. Crentes cansados são aqueles que correram adiante do Senhor, fazendo os mais variados planos sem esperarem a resposta de Deus. Outros, no entanto, ficam para trás. Andam muito devagar, são indolentes, são os chamados bebês espirituais.

c. Em terceiro lugar, andar com Deus é descansar em Deus. Há pessoas muito ocupadas, “não têm tempo”, gastam suas energias, vivem só para si. Não gastam os minutos diários para estarem a sós com Deus.

Através do seu andar perseverante com Deus, Enoque o conheceu melhor, cada vez melhor. Andou com Deus trezentos anos. Quantos há que não passam um ano no evangelho.

Andar com Deus é tê-lo sempre presente e estarmos sempre presentes a Ele. É acomodar-se à sua vontade, conformar-se com os seus desígnios. É ter a sua Palavra como norma e a sua glória como objetivo. “Como, pois, recebestes o Senhor Jesus, assim também andai nele”.

_________________________________

Rev. José Vasconcelos da Silva
IPF do Ipsep, Recife - PE

Parabéns para o Pr. Paschoal Piragine Junior (pela sua coragem de se levantar contra a INSTITUCIONALIZAÇÃO DA INIQUIDADE PELO PT), o novo presidente da CBB - Convenção Batista Brasileira

Pastor da Batista de Curitiba ficará por dois anos no cargo




Por: Celso de Carvalho - Redação Creio

O pastor da 1ª Igreja Batista de Curitiba (PR), Paschoal Piragine Junior, foi eleito na manhã desta segunda-feira, dia 24, em Niterói (RJ), presidente da Convenção Batista Brasileira (CBB).Ele derrotou pastor Vanderlei Batista Marins com pouco mais de 400 votos de diferença. È a segunda vez que Piragine chega à presidência, posição que ocupou em 2007.

Pastor Paschoal Piragine Júnior atua como pastor titular da Primeira Igreja Batista de Curitiba, onde está desde o dia 20 de agosto de 1988. Doutor em Ministérios pela Faculdade Teológica Sul Americana, de Londrina (PR), o pastor Paschoal Piragine Júnior é casado com a irmã Cleusa Piragine, e é pai do pastor Michel Ferreira Piragine.

Piragine ganhou notoriedade ao expressar voto contrário ao Partido dos Trabalhadores (PT) por defender o aborto e escreveu o livro Doenças da Família Moderna pela AD Santos.

Piragine é o entrevista do mês da revista IGREJA. Para assinar acesse www.indiqueigreja.com.br (11) 4081-1760
Leia mais:
:: PR. PIRAGINE DE VOLTA À MÍDIA
Batista, depois ser ameaçado pelo PT, lança livro sobre Família
>> Ler
:: YOU TUBE CENSURA PASTOR PIRAGINE
Autor do pedido é desconhecido. Pastor pedia voto contrário ao PT
>> Ler
Fonte: http://www.creio.com.br/2008/noticias01.asp?resp=Indicação%20efetuada%20com%20sucesso!

1/25/2011

Timorenses querem Religião e Moral nas escolas (Precisamos urgente desta ação conjunta no Brasil para que as nossas escolas não sejam transformadas em fábricas de imoralidade pelo governo petista e socialista - nota do editor do blogger)

Protestantes e católicos uniram-se em Díli para se manifestarem contra a retirada da disciplina de Religião e Moral do plano pedagógico.
O bispo de Díli, D. Alberto Ricardo, diz que a manifestação de hoje se tratou de “um protesto em massa contra o regime anti-democrático imposto pelo governo”. A manifestação pacífica que teve lugar hoje juntou cerca de duas mil pessoas, protestantes e católicas, às portas do Palácio do Governo. Esta iniciativa visou tomar uma posição contra o Executivo de Mari Alkatiri, em especial na questão do plano pedagógico, que coloca a disciplina de Religião e Moral como facultativa. Recorde-se que as preferências religiosas em Timor-Leste abarcam, não só o Catolicismo, mas também o Protestantismo e o Islamismo.

“A ordem do primeiro-ministro para deter os manifestantes é um ataque aos direitos humanos e viola a Constituição. Uma ditadura está a começar em Timor-Leste”, afirma o bispo, referindo-se à alegada detenção de alguns manifestantes à entrada da capital timorense. No entanto, segundo noticiou a agência Lusa, os cerca de 200 manifestantes não terão sido detidos, mas retidos em Tibar, a 10 quilómetros a oeste da capital e terão já sido autorizados a entrar em Díli, tendo-se concentrado na igreja de Motael.

O primeiro-ministro timorense, Mari Alkatiri, alegou já que a manifestação “não ajuda em nada a criação de condições para o diálogo” e esclareceu que a actuação da policia decorreu segundo os procedimentos normais, enquanto que o presidente Xanana Gusmão “está a acompanhar a situação, mas não se vai pronunciar”, como revelou o seu porta-voz, Agio Pereira.

"Manifestações não resolvem o problema"

A embaixadora de Timor-Leste em Portugal, Pascoela Barreto, espera que os protestos não prejudiquem a reunião dos doadores, a realizar na próxima semana, e apela ao diálogo entre a igreja e o governo timorense. "Nenhum timorense deseja que a situação em Timor possa correr de uma forma que possa dar a entender aos doadores que há grandes problemas", disse ao JPN.

Pascoela Barreto afirma não encontrar justificação para o descontentamento: "o governo está a pagar a mais de mil professores da Igreja Católica, portanto, tem havido sempre cooperação entre a igreja e o governo", lembra a embaixadora. Pascoela Barreto lança o repto: "tem que haver bom senso dos dois lados, as manifestações não resolvem o problema".

Daniel Brandão
JornalismoPortoNet

JornalismoPortoNet (JPN) é o jornal digital da Licenciatura em Ciências da Comunicação: Jornalismo, Assessoria, Multimédia da Universidade do Porto. JPN é um jornal multimédia de informação geral e actualização permanente, acompanhando a evolução das novas tecnologias de comunicação e pondo em prática as mais modernas técnicas de expressão jornalística na Internet.« Escolas primárias portuguesas têm mais raparigas

Darwin no banco dos réus: 20 anos desafiando a Nomenklatura científica




Sinopse

O polêmico livro que mexeu com os fundamentos científicos

Por quê? Ele demonstra que a teoria da evolução não tem sua base em fatos, mas na fé – fé no naturalismo filosófico. Phillip Johnson argumenta corajosamente que simplesmente não há um vasto corpo de dados que dêem suporte à teoria.

Com o clima intrigante de um mistério e detalhes que nos prendem como ao assistirmos a um julgamento, Johnson conduz o leitor através das evidências com a perícia de um advogado, a qual ele adquiriu como professor de Direito em Berkeley, especializando-se na lógica dos argumentos.

Qual a razão pela qual uma editora cristã lança no mercado a tradução de uma obra contra o evolucionismo escrita em 1993, portanto com 15 anos de atraso? A principal razão é a sua pujança e relevância. Apesar dos 15 anos de idade, o livro de Phillip Johnson continua atualíssimo. Pouca coisa surgiu nesse período que inovou a apologética antievolucionista além do que Johnson tem feito”.

Augustus Nicodemus Lopes
da apresentação
Phillip E. Johnson é graduado em Harvard e na Universidade de Chicago. Ele foi oficial de direito do presidente do Superior Tribunal Earl Warren e ensinou por mais de trinta anos na Universidade da Califórnia, Berkeley, onde é professor emérito de Direito.
Adquira o livro aqui: Editora Cultura Cristã
http://www.editoraculturacrista.com.br/produtos.asp?codigo=49
+++++

NOTA DESTE BLOGGER:
http://pos-darwinista.blogspot.com/2011/01/darwin-no-banco-dos-reus-20-anos.html


Sou suspeito para recomendar este livro. Primeiro porque já fui evolucionista de carteirinha. Segundo porque defendo uma teoria científica que vai de encontro à teoria da evolução através da seleção natural de Darwin: a teoria do Design Inteligente.
Há exatamente 20 anos atrás Johnson expunha o Darwinismo como sempre foi desde 1859 -- uma fé no naturalismo filosófico que não é corroborada pelas evidências se submetidas ao contexto de justificação teórica.

Se você crítico de Darwin ainda não leu este livro, leia e saiba as muitas dificuldades fundamentais que esta teoria sofre. Se você evolucionista ainda não leu, leia e mostre que você se sujeita às evidências aonde elas forem dar por ser uma pessoa objetiva que se convence pelos dados e não pela retórica darwiniana.
O livro de Johnson continua, apesar de publicado há 20 anos, sendo um desafio devastador à Nomenklatura científica.

Evangélicos querem barrar cartilha "anti-homofobia" ou homossexualização nas escolas!








 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Um material educativo (imoral e preparado pelo PT e Dilma) que inclui livros e vídeos contra a homofobia, que mostra personagens gays, lésbicos, bissexuais, travestis e transexuais está sendo alvo de uma campanha contra da Frente Parlamentar Evangélica quer barrar a distribuição de cartilha elaborada pelo Ministério da Educação (MEC).


"Uma cartilha que está muito mais fazendo a apologia do sexo entre crianças e adolescentes", branda o deputado João Campos (PSDB-GO/ foto) que preside a Frente e promete que sua assessoria vai analisar uma possível ação contra o material na Procuradoria-Geral da República (Ministério Público) e na Justiça comum para que o material destinado a alunos de 15 a 17 anos seja recolhido. Para o deputado, o material está muito sexualizado e é uma apologia aos gays e incentiva a prática homossexual. "Uma cartilha que está muito mais fazendo a apologia do sexo entre crianças e adolescentes do que necessariamente orientando acerca da homofobia, do ponto de vista preventivo, para educar as pessoas". Outro que contesta o material é o deputado carioca Jair Bolsonaro (PP – RJ), que chegou a afirmar que o material seria destinado a crianças e que gays gostariam de corromper os alunos.

Segundo informou o Ministério da Educação, o material contra a homofobia (homossexualização e ideologização) já foi elaborado e ainda vai passar pela avaliação criteriosa de um comitê de especialistas. A distribuição da cartilha anti-homofobia a cerca de seis mil escolas públicas de ensino médio deve acontecer ainda neste ano, mas ainda não há data prevista.

Campanha para não comprar o DESODORANTE AXE - "ATÉ OS ANJOS CAIRÃO" - INÉDITO ESSE COMERCIAL DA AXE




EU E MINHA FAMÍLIA não consumiremos nenhum destes produtos: Rexona, Vinólia, Karo, Clear, Seda, Knorr, Hellmann´s, Dove, Arisco, Becel, Vasenol, Axe, Maizena, Lux, Ades, Fofo, Kibon, Close Up, enquanto continuar o desprezo aos princípios teístas, cristãos e reformados!

Uma das mentiras da missão e princípios da UNILEVER é causar um “Impacto positivo”, porém, temos acima, uma comercial que está além de qualquer ingenuidade. Temos um comercial ideológico extremamente naturalista e anti-teísta. Através deste comercial, indiretamente e diretamente existe o estímulo ao desprezo por Deus e tudo o que se trata de assuntos celestiais.

Não existe nada de CRIATIVIDADE e HUMOR verdadeiro. Este comercial fortalece a superficialidade humana, transformando e contribuindo para a ideologia do humanismo-hedonista, ou seja, o que importa, é o agora, é o prazer e a sensualidade desenfreada, não importa as consequências nem no presente e muito mais na eternidade. O que temos não é FANATISMO, mas, a denúncia da INSENSIBILIDADE MORAL por parte de empresas, comerciais e programas de televisão, infiltrando na cabeça das pessoas, REPITO, A INSENSIBILIDADE MORAL. O economicismo, o lucro a todo custo, não tem limites, a meta é vender, mesmo apelando para "soluções religiosas" e "promessas de salvação, felicidade e eternidade aqui e agora" através do consumo do mesmo.

A sociedade tem sido minada a cada dia, todo dia, têm sido atacada por várias frentes para "desconstruir" tudo o que é CERTO e ERRADO por novos valores que tem demonstrado a DESUMANIZAÇÃO DA HUMANIDADE, o EUDEUSAMENTO, a arrogância, a prepotência e acima de tudo e o mais perigoso: O ATEÍSMO FUNCIONAL, ou seja, "não estou nem aí com DEUS, o que importa é a minha felicidade, o importante é sentir prazer, não importa se é nas drogas, na violência, no assassinato de criançcas não nascidas (Aborto) ou todo tipo de aberrações. A verdade não existe, toda a verdade é relativa, não existem absolutos, porém, este discurso que tudo é relativo e que não existe absolutos tem sido substituídos pelos "absolutos dos imorais, economicistas e sodomitas".

Se os anjos trocam a SUBLIMIDADE DA ETERNIDADE E VERDADEIRA ALEGRIA CELESTIAL da presença do amor e da justiça de DEUS, o quê os homens podem esperar?

Se os anjos não “suportam” o céu, o céu é anunciado como algo chato, sem vida, sem o verdadeiro prazer, então, vamos nos agarrar aos prazeres terrenos, que são fúteis e responsáveis pela toda desordem social, moral, ética, política, jurídica, econômica, educacional, artística, científica e espiritual.

A grande mentira da UNILEVER: “Desejamos criar um impacto positivo de muitas maneiras: através de nossas marcas, nossas operações e relações comerciais, através de contribuições voluntárias e de várias outras maneiras pelas quais nós nos comprometemos com a sociedade”. Palavras bonitas, porém a prática é sodomita. A Unilever e suas principais marcas: Rexona, Vinólia, Karo, Clear, Seda, Knorr, Hellmann´s, Dove, Arisco, Becel, Vasenol, Axe, Maizena, Lux, Ades, Fofo, Kibon, Close Up, precisam aprender a respeitar a moral, a ética e não se levantar contra DEUS.

Portanto, EU E MINHA FAMÍLIA não consumiremos nenhum destes produtos enquanto continuar o desprezo aos princípios teístas, cristãos e reformados!

Fraternalmente em Cristo,

Luis Cavalcante e Família
http://luis-cavalcante.blogspot.com/

Quer ajuda para educar seus filhos?

Disciplinar crianças com a vara não se pode. Educá-las em casa também não se pode. Mas pode-se matá-las antes que nasçam. Pode-se ensiná-las sodomia nas escolas. Eis a “cultura” de aborto e sodomia que o governo impõe hoje no Brasil! Será que podemos sentir orgulho do governo brasileiro?

Fonte: http://www.escolaemcasa.blogspot.com/

E-books gratuitos, em formato PDF, escritos por Julio Severo - A Luta incansável pela vida e pela família!

E-books gratuitos, em formato PDF, escritos por Julio Severo


A Agenda Gay e a Sabotagem dos Direitos Humanos

Abortos no Silêncio

Anthony Comstock: o primeiro campeão pró-família da história moderna

As Ilusões do Movimento Gay

Eutanásia: Matando os doentes, os deficientes e os idosos em nome da compaixão

O homem que arriscou tudo para se opor à cultura da morte

Chuck Colson
24 de janeiro de 2011 (Notícias Pró-Família / Breakpoint.org) — Provavelmente, você nunca ouviu falar de Lothar Kreyssig — eu não tinha, até recentemente. Contudo, depois de conhecer a história dele, percebi que Kreyssig era um herói para os nossos tempos: um homem que, correndo um risco quase que inacreditável, defendia firmemente a santidade da vida humana.


Juiz alemão Lothar Kreyssig, que arriscou tudo para se opor ao programa de eutanasia nazista T4.

Em outubro de 1939, o Terceiro Reich criou o que veio a ser conhecido como o programa “Ação T4”. Para fomentar o que os nazistas chamavam de “higiene racial”, os burocratas do Reich, trabalhando com médicos, eram autorizados a identificar e matar aqueles que eram considerados “indignos de viver”, isto é, pacientes institucionalizados com “graves deficiências”.

É claro que expressões como “indigno” e até mesmo “graves” são subjetivas. Na realidade, elas são licença para assassinatos em massa. Hitler exigiu que pelo menos 70.000 pessoas fossem mortas sob este programa, de modo que médicos e autoridades se lançaram para cumprir as cotas do Führer.

Temendo reações na Alemanha e outros países, os nazistas tentavam esconder o que estava ocorrendo: mentiam para as famílias dos pacientes e, prenunciando Auschwitz, disfarçavam as câmaras de gás como chuveiros.

Quando penso no que aconteceu com aquelas pessoas, principalmente com as crianças — alguns como meu neto autista Max — fico com o coração partido — fico horrorizado.

Os nazistas também se esforçavam para dar uma aura de legalidade para os assassinatos: Hitler pessoalmente ordenou que os juízes alemães não levassem a juízo médicos por matarem seus pacientes. E é aí que entra Kreyssig: Ele era um juiz altamente respeitado em sua terra natal, a Saxônia.

Mas ele era mais do que um juiz — Kreyssig era um dos líderes da Igreja Confessante, que resistia às campanhas do Reich para “nazificar” as igrejas protestantes. Ser um membro da Igreja Confessante, sem mencionar ser líder, era viver com uma marca de tiro ao alvo pintada nas costas.

À medida que mais e mais certificados de óbito para pessoas mentalmente doentes passavam pela sua mesa, Kreyssig percebeu que algo horrível estava acontecendo.

Ele escreveu para o ministro da Justiça do Reich protestando não só contra o programa Ação T4, mas também contra o tratamento dos prisioneiros dos campos de concentração. Ele então acusou um médico de assassinato em conexão com as mortes de seus pacientes.

Então ele foi chamado para o gabinete do ministro, onde ele foi informado de que o próprio Hitler havia autorizado o programa. Ao que Kreyssig respondeu: “A palavra do Führer não cria um direito”.

A coragem de dizer isso para uma autoridade governamental na Alemanha nazista era extraordinária. Kreyssig foi forçado a se aposentar. Embora a Gestapo tivesse tentado fazer com que ele fosse enviado a um campo de concentração, o medo de atrair a atenção para o programa T4 provavelmente salvou a vida de Kreyssig.

Ele passou o resto da guerra em casa cuidando de sua fazenda e, oh sim, escondendo judeus em sua propriedade.

O único juiz a resistir aos nazistas viveu quarenta e um anos a mais do que o “Reich de 1.000 anos”. Vinte anos depois de sua morte, a Alemanha realizou um memorial honrando sua bravura e compaixão.

Numa cultura onde ser “maria-vai-com-as-outras” era literalmente uma estratégia de sobrevivência, Kreyssig recusou ficar de boca fechada. Quando a maioria dos protestantes alemães adaptou sua fé às exigências do Reich, ele recusou cooperar e deixou claro que havia uma lei mais elevada.

Felizmente, a defesa da santidade da vida hoje em dia não requer nada parecido com o que Kreyssig passou com sua coragem. Mas requer coragem. E requer também compreender a Aquele cuja Palavra realmente cria um direito.

Este artigo foi reproduzido com permissão de breakpoint.org

Traduzido por Julio Severo: http://www.juliosevero.com/

Fonte: http://noticiasprofamilia.blogspot.com/

Veja também este artigo original em inglês: http://www.lifesitenews.com/news/the-man-who-risked-everything-to-oppose-the-culture-of-death

Copyright © LifeSiteNews.com. Este texto está sob a licença de Creative Commons Attribution-No Derivatives. Você pode republicar este artigo ou partes dele sem solicitar permissão, contanto que o conteúdo não seja alterado e seja claramente atribuído a “Notícias Pró-Família”. Qualquer site que publique textos completos ou grandes partes de artigos de Notícias Pró-Família ou LifeSiteNews.com em português tem a obrigação adicional de incluir um link ativo para “NoticiasProFamilia.blogspot.com”. O link não é exigido para citações. A republicação de artigos de Notícias Pró-Família ou LifeSiteNews.com que são originários de outras fontes está sujeita às condições dessas fontes.

Fonte: http://juliosevero.blogspot.com/2011/01/o-homem-que-arriscou-tudo-para-se-opor.html

1/24/2011

Descontentes com a desconstrução da ciência psicológica na atualidade e os seus reflexos na sociedade brasileira

Caríssimos psicólogos brasileiros e simpatizantes!

Feliz 2011!

No dia 25 de janeiro, terça-feira, às 15 horas, estaremos reunidos na Alerj, Praça XV, Rio de Janeiro, para conversarmos sobre um plano de ação envolvendo os psicólogos e simpatizantes descontentes com a desconstrução da ciência psicológica na atualidade e os seus reflexos na sociedade brasileira. Os que residirem fora do Rio de Janeiro e que desejarem estar conosco, mas não puderem viajar até a cidade do Rio de Janeiro, nesta ocasião, estaremos verificando uma forma de mantê-los informados acerca do resultado da nossa reunião. Os simpatizantes da nossa causa estão convidados também. Maiores informações com o psicólogo Marcius: (21) 9886-6325 (oi) e 2588-1126

Paz e todo o bem.
Rozangela Justino

A teoria da evolução de Darwin através da seleção natural e/ou n mecanismos evolucionários não é corroborada no contexto de justificação teórica desde 1859, já foi recauchutada nos anos 1930-1940 do século 20, declarada morta em 1980


Fonte: http://pos-darwinista.blogspot.com/2011/01/ciencia-precisa-amar-incerteza-e-o.html

Vide, finalmente, o artigo de Thiago Camelo, O benefício da dúvida, publicado no CiênciaHoje, que não nos deu direito de resposta ao artigo Evolução e religião [misteriosamente não se encontra mais arquivado] de Sérgio Danilo Junho Pena em que a teoria do Design Inteligente foi descaracterizada, e tivemos que mostrar o outro lado e denunciar esta falta de objetividade editorial científica do CiênciaHoje com a nossa réplica Orientação editorial do Ciência Hoje On-Line não aceita réplicas de artigos científicos.


O discurso da Nomenklatura científica, quando a questão é Darwin, não ama a incerteza e nem o fracasso de uma teoria científica na explicação da origem e evolução das espécies.

A teoria da evolução de Darwin através da seleção natural e/ou n mecanismos evolucionários não é corroborada no contexto de justificação teórica desde 1859, já foi recauchutada nos anos 1930-1940 do século 20, declarada morta em 1980 (Stephen Jay Gould, obrigado pela sua honestidade e coragem científicas) e está sendo remendada pela nova teoria -- a SÍNTESE EVOLUTIVA AMPLIADA, que não pode ser selecionista justamente pela montanha de fracassos em fornecer evidências corroborativas, e que devemos esperar até o ano 2020.

Pasme, e fique revoltado, mas os livros de Biologia do ensino médio aprovados pelo MEC/SEMTEC/PNLEM aborda esta questão fundamental da robustez de uma teoria científica, e quando faz é somente para demonstrar as teorias contrárias como inadequadas. Darwin locuta, evolutio finita!!!

Quando a questão é Darwin, na Nomenklatura científica é tutti cosa nostra, capice???

Fui, nem sei por que, pensando e convencido de que o artigo do The Guardian e do Edge é mais retórica para blindar a resistência da Akademia em reconsiderar as incertezas e os fracassos de Darwin. Posso estar errado, e se estiver, mordo a língua!!!

*

A ciência precisa amar a incerteza e o fracasso: verdade ou apenas retórica???


We must learn to love uncertainty and failure, say leading thinkers

Planet's biggest brains answer this year's Edge question: 'What scientific concept would improve everybody's cognitive toolkit?'
Edge of reason: Doubt and uncertainty are essential elements of the scientific process.

Photograph: Getty Images

Being comfortable with uncertainty, knowing the limits of what science can tell us, and understanding the worth of failure are all valuable tools that would improve people's lives, according to some of the world's leading thinkers.

The ideas were submitted as part of an annual exercise by the web magazine Edge, which invites scientists, philosophers and artists to opine on a major question of the moment. This year it was, "What scientific concept would improve everybody's cognitive toolkit?"

The magazine called for "shorthand abstractions" – a way of encapsulating an idea or scientific concept into a short description that could be used as a component of bigger questions. The responses were published online today.

Many responses pointed out that the public often misunderstands the scientific process and the nature of scientific doubt. This can fuel public rows over the significance of disagreements between scientists about controversial issues such as climate change and vaccine safety.

Carlo Rovelli, a physicist at the University of Aix-Marseille, emphasisedthe uselessness of certainty. He said that the idea of something being "scientifically proven" was practically an oxymoron and that the very foundation of science is to keep the door open to doubt.

"A good scientist is never 'certain'. Lack of certainty is precisely what makes conclusions more reliable than the conclusions of those who are certain: because the good scientist will be ready to shift to a different point of view if better elements of evidence, or novel arguments emerge. Therefore certainty is not only something of no use, but is in fact damaging, if we value reliability."

The physicist Lawrence Krauss of Arizona State University agreed. "In the public parlance, uncertainty is a bad thing, implying a lack of rigour and predictability. The fact that global warming estimates are uncertain, for example, has been used by many to argue against any action at the present time," he said.

"In fact, however, uncertainty is a central component of what makes science successful. Being able to quantify uncertainty, and incorporate it into models, is what makes science quantitative, rather than qualitative. Indeed, no number, no measurement, no observable in science is exact. Quoting numbers without attaching an uncertainty to them implies they have, in essence, no meaning."

Neil Gershenfeld, director of the Massachusetts Institute of Technology's Centre for Bits and Atoms wants everyone to know that "truth" is just a model. "The most common misunderstanding about science is that scientists seek and find truth. They don't – they make and test models," he said.

"Building models is very different from proclaiming truths. It's a never-ending process of discovery and refinement, not a war to win or destination to reach. Uncertainty is intrinsic to the process of finding out what you don't know, not a weakness to avoid. Bugs are features – violations of expectations are opportunities to refine them. And decisions are made by evaluating what works better, not by invoking received wisdom."

The writer and web commentator Clay Shirky suggested that people should think more carefully about how they see the world. His suggestion was the Pareto principle, a pattern whereby the top 1% of the population control 35% of the wealth or, on Twitter, the top 2% of users send 60% of the messages. Sometimes known as the "80/20 rule", the Pareto principle means that the average is far from the middle.

It is applicable to many complex systems, "And yet, despite a century of scientific familiarity, samples drawn from Pareto distributions are routinely presented to the public as anomalies, which prevents us from thinking clearly about the world," said Shirky.

...

Read more here/Leia mais aqui: The Guardian

Fonte: Fonte: http://pos-darwinista.blogspot.com/2011/01/ciencia-precisa-amar-incerteza-e-o.html

Paul Washer - O que é Salvação (Em Dois Minutos)

Association of Biblical Counselors - http://christiancounseling.com

Narth - National Association For Research & Therapy of Homosexuality

The Association of Christian Therapists - www.ACTheals.org

Christian Counseling & Educational Foundation - http://www.ccef.org

Society for Christian Psychology - http://christianpsych.org

Pela Proibição Urgente da Droga Cigarro no Brasil

História da música "Amazing Grace (Maravilhosa Graça)"

ANTES DE QUALQUER COISA, OUÇA ESTE VÍDEO E MEDITE!

OS PURITANOS

IPB

APMT

Plantango Igrejas Presbiterianas pelo Brasil