12/31/2010

Lula, Dilma e o PT decidem na prática manter no Brasil o terrorista italiano CESARE BATTISTI, lamentavelmente, este governo com a sua filosofia petista, é de uma imoralidade tal, que Sodoma e Gomorra viraram cidade santa em relação ao governo socialista e esquerdista.

Lula, Dilma e o PT decidem na prática manter no Brasil o terrorista italiano CESARE BATTISTI, lamentavelmente, este governo com a sua filosofia petista, é de uma imoralidade tal, que Sodoma e Gomorra viraram cidade santa em relação ao governo socialista e esquerdista.


Fonte: http://noticias.uol.com.br/politica/2010/12/31/lula-decide-nao-extraditar-o-italiano-cesare-battisti.jhtm

12/28/2010

Adolescentes cuidado: Miley Cyrus a Hannah Montana flagrada usando drogas

Fonte: http://adolescentecalvinista.blogspot.com/2010/12/adolescentes-cuidado-miley-cyrus-hannah.html

O caso Datena e o retrocesso das instituições jurídicas - Dr. Belcorígenes de Souza Sampaio Júnior

Dr. Belcorígenes de Souza Sampaio Júnior
Hoje li a seguinte manchete: Datena é condenado em processo por “discriminação homofóbica”. Será que estamos diante de mais uma burrice judicial? De acordo com matéria do jornal Folha de S. Paulo:

(...)

Para ler o artigo clique abaixo:
http://direitoreformacional.blogspot.com/2010/12/o-caso-datena-e-o-retrocesso-das.html

Um quarto da população mundial é abusada sexualmente até os 15 anos de idade. Você sabia disso? De cada 4 um é abusado. Noventa por cento das vezes quem abusa é parente (na maioria das vezes pai/padrasto). Esta criança abusada sexualmente vai ser um abusador no futuro ou será um homossexual (em ambos os sexos) ou terá sérias disfunções sexuais...

Gleden Prates (médico): Mudança de sexo algumas verdades

Com 25 anos de formado e com pós graduação em sexualidade penso que posso contribuir um pouco para a discussão.

Primeiro precisamos discutir sim questões teológicas aqui, pois há um desconhecimento da questão médica e por isso há confusão teológica. Transexual idade não é o mesmo que hermafroditismo. Este último sim é um defeito genético e a pessoa nasce com 2 sexos. Nesta situação deve-se optar por "extirpar" o sexo que não é compatível com o DNA. O resto todo das patologias cai nos chamados desvios da sexualidade. Não podemos como cristãos aceitar a troca de sexo mesmo que a pessoa entenda que "nasceu" homem, mas é mulher. Deus fez homem e mulher. No dia em que aceitarmos algo diferente disso precisaremos rever toda a Bíblia. No caso em questão, infelizmente o fato desta pessoa ter sido criado na igreja pode justamente ter contribuído para ele ser o que é e abaixo vou tentar deixar isso mais claro. Então, do ponto de vista teológico penso ser inaceitável por não tratar-se de hermafroditismo (estou supondo sem conhecer detalhes, pois se fosse classificado como hermafroditismo isso já teria sido falado e a situação estaria resolvida).

Mas gostaria de acrescentar a esta discussão alguns conceitos importantes que penso a igreja deve conhecer e saber lidar com eles.

Infelizmente a maioria dos grandes pesquisadores no mundo em todas as áreas e inclusive na medicina, são homossexuais. Isso não é coincidência ou acaso. Faz parte da estratégia satânica de colocar pessoas "pensantes" ou "formadoras de opinião" em posições chaves com o grande intuito de influenciar pensamentos, conceitos e idéias. Esta "elite" pesquisadora há muito tempo tem tentado provar que há diferenças genéticas entre as pessoas "normais" e os homossexuais. Isso seria perfeito e acabaria com os conceitos iniciais da Criação e praticamente "detonaria" a Bíblia. Mas, por mais que invistam milhões nisso o fato é que as pesquisas até aqui mostraram o óbvio. Ambos, homens/mulheres e homossexuais são iguais geneticamente e do ponto de vista de estrutura cerebral. Existe apenas diferenciação cromossômica tornando XY homem e XX mulher. Não há um par cromossômico sexual específico para homossexuais.

Então a pergunta é: como surge o homossexualismo?

E vou tentar resumidamente colocar alguns conceitos abaixo. Muito resumidamente.

Basicamente a sexualidade é definida intra-úteros e sofre influências que poderão mudar o rumo dela na infância e adolescência. É importante reconhecermos que o meio onde a pessoa está inserida poderá desviá-lo totalmente do projeto sexual de Deus. Os motivos para que uma pessoa se torne homossexual podem ser resumido em quatro palavras: criação, abuso, mídia e possessão.

Criação

Um jovem pode se tornar homossexual se foi criado como tal. Ou seja, se um menino foi criado como se fosse menina pode ser tal. Entendendo-se que isso seria um absurdo, pois nenhum pai tenderia a fazer isso, podemos perceber que alguns fatos pequenos do dia a dia também poderiam fazer este papel ser distorcido. Por exemplo, numa casa em que a autoridade é a mulher, a ausência da figura masculina pode levar a isso. O jovem menino precisa de um "modelo". O modelo que ele encontra nesta família é da mulher. Então é fácil seguir o modelo. Numa casa em que um menino passa desde a mais tenra idade ouvindo que homem não presta, não serve para nada, que nem para trazer dinheiro para casa, etc... O seu cérebro vai sendo condicionado a isso e tudo o que este cérebro não quer é ser aquilo que não presta. Na menina ocorre o mesmo efeito. Se o homem não serve para nada porque "ter" um? Muito melhor ter mulher que "presta". Muitos meninos começam a urinar sentados. Eles fazem isso porque passam mais tempo com a mãe e é isso que eles vêem. Em algumas casas o pai precisa um dia ensinar ao menino como um homem urina. Daí que a ausência da figura do pai, seja por motivo de separação, seja por falecimento, seja por ausência devido a drogas, alcoolismo, etc, ou seja, pela ausência em função do "ativismo ou excesso de trabalho" pode provocar danos nesta fase de "educação" terríveis Onde está o instrutor? O modelo? Por isso não é de se estranhar que algumas famílias de pessoas tremendamente dedicadas à obra de Deus têm seus filhos perdidos para drogas ou promiscuidade sexual (tanto hetero como homo). Estes pais dedicados ao serviço do Senhor esqueceram que Ele orientou muito bem: "cuidem primeiro de suas casas, depois da igreja".

Pais ausentes ou pais "durões" têm a tendência de dar pouco ou nenhum carinho para seus filhos homens. Pouco beijo, pouco abraço, pouco colo. Portas fechadas para frustrações ou fracassos ou desânimos, pois não podem ensinar seus filhos a fraquejarem, eles precisam aprender a ser durões! Um dia este jovem descobre nos braços de outro homem, o colo, o afago, a compreensão que não tiveram no seu pai. Já é tarde. Por isso tenho ensinado a pais em seminários para casais o quanto é importante amarem e demonstrarem amor aos seus filhos. Abrace, beije, ponha no colo. Desfrute de cada momento com seu filho homem (Deus me deu o privilégio de ter 2) e ele nunca precisará de outro homem para substituir seu pai. Apenas para conhecimento, os estudos mostram que até mesmo o fato da criança ser retirada das fraldas de forma muito rápida ou rígida pode levar ao homossexualismo por "abortar" uma etapa importante da fase anal (não é tão simples assim, ou seja, quem fez isso não se assuste - mas pode contribuir). O ambiente familiar será muito importante não apenas no caráter, mas também na sexualidade destes jovens. Pais presentes e ensinando o modelo cristão.

Abuso

Um quarto da população mundial é abusada sexualmente até os 15 anos de idade. Você sabia disso? De cada 4 um é abusado. Noventa por cento das vezes quem abusa é parente (na maioria das vezes pai). Esta criança abusada sexualmente vai ser um abusador no futuro ou será um homossexual (em ambos os sexos) ou terá sérias disfunções sexuais. Raras vezes uma pessoa que sofreu abuso passa sem seqüelas. Muitas vezes, e creio que os irmãos pastores já viram muito, nem mesmo a nova vida em Cristo ou mesmo libertações apagam por completo as cicatrizes. Mas o abuso pode não ser físico, ou se consumar. Pode ser uma tentativa ou um aliciamento. Ou até mesmo a imagem de outra pessoa sendo abusado pode provocar o trauma que pode levar à homossexualidade. Certa vez em nossa escola um menino ao final da aula estava como rosto todo pintado de caneta como se fosse menina. Batom, sombra, etc. Parecia uma menina. Depois de muito trabalhar com ele descobrimos que estava se pintando como menina, pois via o pai separado tendo relações sexuais com a amante. O que ele queria ao se pintar de menina era ser "como" a amante. Ou seja, sendo uma mulher ele teria o amor do pai. Este menino tinha apenas 5 anos. Conseguem compreender a dimensão disso? Aqueles que ainda acreditam que separação é algo comum, aceitável que todo mundo já assimilou, precisavam estar comigo naquela tarde na minha escola e ver com tristeza o que eu vi. Uma paciente minha lésbica ao saber que sou cristão abriu seu coração e pediu ajuda para deixar de ser. Sua história é muito comum. Foi num acampamento de jovens e foi simplesmente estuprada aos 17 anos. O detalhe é que quem fez isso era seu primo. Ao voltar deste acampamento, foi direto na casa do tio pai do menino e contou a história. Resultado foi também estuprada pelo tio. Ela me dizia: Gleden, não tenho prazer com mulheres. Não sinto nada. Mas não posso ir com homens. Ou seja, ela é lésbica para "fugir" do pênis. Fruto do abuso. Teria mais histórias para contar, mas penso que os irmãos já entenderam.

Mídia

Um dos grandes vilões. Tenho falado sobre isso há 12 anos. Mas, sou uma voz no deserto. Quando digo que meus filhos não assistem televisão me olham como se eu ou eles fôssemos um ET. A mídia está trazendo para dentro das casas o próprio satanás. Em todas as áreas do relacionamento familiar a mídia tem um modelo ruim a ensinar. Para piorar ela (a mídia - TV, computador, etc) é o grande vilão justamente da comunicação. O pai fica no escritório vendo futebol, a filha no quarto vendo malhação e a mãe na sala vendo a desgraça da novela. Comunicam-se como?

Mas preste a atenção na forma como a homossexualidade tem sido retratada na TV. Em geral os homossexuais são inteligentes, bonitos, bem de vida, sempre estão prontos para ajudar as pessoas, enfim, são muito legais. Isso não faz diferença nenhuma para mim que estou com 48 anos. Mas, para uma criança de 5 ou 6 anos que está buscando modelos, heróis, ídolos, faz toda a diferença. Lembro de meu modelo de herói. Primeiro é claro o pai (e se ele for ausente??). Depois, o meu era o Nacional Kid. Alguns como o Vital vão lembrar. Outros mais jovens nem sabem de quem estou falando. Mas era meu modelo, meu herói. Seria uma grande ilusão pensarmos que os filhos de crentes terão o modelo de Jesus. Talves depois dos 12 anos sim. Antes não. E aí quem é que a mídia oferece hoje de modelo? Os gays. Simples, muito engenhoso e sem precisar muito esforço. Basta ligar a TV. Se você não crê nesta influência, leia o estudo que publicamos no VIGIAI sobre a violência e a mídia. A ciência aprova esta influência.

Possessão

Parece ignorância um médico falar de satanás ou possessão. Em alguns lugares onde falo torcem o nariz. Me converti aos 32 anos. Eu não conheço satanás de ouvir falar. Conheço de servir. Sei muito bem o que falo e esta é uma área onde ele tem atuado com desenvoltura e liberdade. Não vou perder tempo com aspectos teológicos, doutrinários, etc. Apenas vou fazer você entender que de fato este demônio existe. Ele deixa as marcas. Ele possui uma espécie de DNA. Quando você vê um homossexual você pode observar que ele é igual a todos. Caras e bocas, trejeitos, forma de falar, forma de andar, tudo. São como que irmãos gêmeos. Esta é a marca da BESTA. Esta é a assinatura do demônio.

Por isso que você já deve ter visto como vi várias vezes, pessoas que passaram por processo de libertação e foram curadas e hoje servem ao Senhor. Há sim um demônio do homossexualismo. Pode agir sozinho ou em conjunto com os fatores que expus acima. Mas ele existe. O nome é o que menos importa. Importa que exista e por isso precisamos orar.

Por estas razões que me revolto quando algumas pessoas ainda acham que podemos mudar o homossexualismo elegendo ou barrando este ou aquele. Não é por decreto. Não é por lei contra ou a favor. Se queremos acabar com isso a primeira coisa é iniciar uma guerra. Jejum e oração! Depois precisamos ensinar às famílias qual é o papel do home e da mulher. Depois precisamos desligar a porcaria da TV. Depois precisamos de escolas que de fato ensinem o caminho para nossos filhos. Escolas cristãs de fato. Depois precisamos continuar orando e jejuando, pois esta é a única cura para esta tragédia.

Hoje nos EUA 9 milhões de crianças são criadas por homossexuais. Você consegue dormir com este número?

Espero ter contribuído para a discussão. Mas não para encerrar a discussão e sim para apenas iniciar a discussão. Precisamos falar sobre isso. Alertar a igreja e discutir estratégias. Se todos se envolverem numa discussão com o mesmo afinco que se envolveram nesta última eleição, podemos mudar esta história.

No amor de Cristo,

Gleden T. Prates

Fonte: http://vigiai.net/news.php?readmore=6484

Sob a liderança do PT e do Lula (Papai Noel dos Gays), 300 Milhões de Reais (nossos impostos) em vez de fortalecer as famílias e o casamento (base da sociedade saudável), vão para organizações homossexuais combater a "homofobia" e algumas simpatizantes da "agudeza do órgão genital masculino" na "extremidade distal do tubo digestivo" em "tenra idade...", sem "preconceito de idade". Todos podem ser criticados; juízes, presidente, políticos, empresários, imprensa, família, religiosos, papa, Deus, mas, os homossexuais são intocáveis, não podem falar nadinha, porque se falar, é acusado e processado por homofobia! O que tem de empregador/empresário sofrendo por "preconceito"; mandar um funcionário gay embora é processo na hora, acusado de homofobia. O empresário terá que provar que este não é o motivo, além da carga tributária do PT, mais uma preocupação para administrar uma empresa no Brasil.

300 MILHÕES PARA COMBATER A HOMOFOBIA" VOCÊ CONCORDA?

Matthew Cullinan Hoffman – BRASIL — O Senado do Brasil recentemente aprovou um enorme orçamento de 300 milhões de reais para combater a “homofobia”, um termo que inclui críticas ao estilo de vida homossexual.

As verbas serão gastas como parte de um programa homossexualista nacional do governo, “Brasil Sem Homofobia”, que canaliza parte do dinheiro diretamente para organizações homossexuais.

As verbas também deverão ser usadas para custear iniciativas legislativas para criar direitos especiais para os homossexuais no Brasil. Uma iniciativa tal, a “Lei da Homofobia”, também conhecida como PLC 122/06, tornará crime criticar a conduta homossexual no Brasil.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva está fazendo pressões para que a lei seja aprovada nos últimos dias de seu governo, uma façanha que ele não pôde realizar depois de oito anos no cargo, apesar de sua enorme popularidade, indicou o ativista pró-família brasileiro Julio Severo. A sucessora dele, a presidenta eleita Dilma Rousseff, prometeu não promover tais iniciativas legislativas, uma garantia que ela deu aos eleitores quando sua campanha parecia estar ameaçada pelo apoio histórico do partido dela às medidas socialmente esquerdistas.

O programa Brasil Sem Homofobia também será usado para promover a agenda política homossexual a nível internacional, e nas escolas do Brasil. Neste ano o programa “Escolas Sem Homofobia” está destacando uma campanha para normalizar o travestismo nas escolas.

No entanto, a defesa apaixonada de Lula ao homossexualismo provavelmente não terá sucesso no atual clima político e cultural do Brasil. As eleições recentes indicaram que o público é hostil a tais iniciativas, o que fica reforçado pelos resultados de recente pesquisa de opinião pública que mostram que uma grande maioria dos brasileiros se opõe às uniões civis homossexuais.

Fonte: Julio Severo/ noticiasprofamilia / O Verbo

Fonte: http://www.idagospel.com/2010/12/300-milhoes-para-combater-homofobia.html

Derrota LGBT no Superior Tribunal de Justiça. União estável não vale para casais homossexuais.

Contrariando uma série de decisões favoráveis a LGBTs na Justiça, o Superior Tribunal de Justiça não aceitou a idéia de que dois casais gays do Rio Grande do Sul tivessem a relação considerada como união estável. Fazê-lo seria, de acordo com material para imprensa feito pelo órgão, violar “o texto expresso da lei”.
Para a corte, quando dois homens ou duas mulheres se unem há é uma sociedade de fato, o que vê o relacionamento apenas do ponto de vista patrimonial e não familiar. Por conta disso, a divisão de bens deve se dar de acordo com o que cada um contribui ao longo do tempo na formação do patrimônio comum. Em caso de união estável, a divisão seria igualitária

 
Fonte: Parou Tudo

12/27/2010

Um credo para os fundamentalistas brasileiros

É só uma sugestão. Acho que posso sugerir, pois fui criado numa denominação fundamentalista e mesmo que não pertença a ela hoje, continuo a ser chamado assim. Portanto, segundo meus críticos, devo entender razoavelmente do assunto.

Creio na inerrância das Escrituras. Isto não quer dizer que eu creio que a Bíblia foi ditada mecanicamente por Deus, que ela caiu pronta do céu, que sua linguagem é científica, que não há erros nas cópias, que as traduções são inerrantes, que as cópias em manuscritos existentes são inerrantes, que a Bíblia é exaustiva e que tudo que está na Bíblia é fácil de entender e interpretar.

Quer dizer que eu acredito que os manuscritos originais foram infalivelmente inspirados por Deus e que, em conseqüência, a Bíblia é verdadeira em tudo o que afirma. Creio que pelas cópias existentes podemos ter segurança do que havia nos originais e que muito dos debates sobre os manuscritos e as partes polêmicas e difíceis de interpretar não afetam a compreensão correta do todo. Em resumo, eu quero dizer apenas isto, que a Escritura é a única regra de fé e prática para a Igreja Cristã.

Creio na divindade de Jesus Cristo. Isso não quer dizer que eu negue sua plena humanidade, a realidade de suas tentações, a sua preocupação com os pobres e as questões sociais.

Não quer dizer que eu negue que ele foi gente de verdade, capaz de rir, de chorar, que passou por perplexidades e que aprendeu muita coisa gradativamente como as outras pessoas.

Quer dizer tão somente que creio que é era verdadeiro Deus e verdadeiro homem, muito embora eu não tenha todas as respostas para as perguntas levantadas pela doutrina das suas duas naturezas. Quer dizer que sua morte na cruz tem eficácia para perdoar meus pecados, visto que não era um mero homem morrendo por suas próprias faltas.

Sua vida, suas ações e seus movimentos podem servir de modelo para mim, embora sua religião não possa, pois ele não era cristão, como eu já disse em um outro artigo. [http://tempora-mores.blogspot.com/2010/06/jesus-nao-era-cristao.html ]

Creio na ressurreição física de Cristo de entre os mortos. Isso não quer dizer que eu coloque o corpo acima do espírito e nem que eu seja um ingênuo que ignora o fato que cadáveres não revivem cotidianamente.

Também não quer dizer que eu ignore as tentativas de explicações alternativas existentes para o túmulo vazio, a falta do corpo de Jesus até hoje e a mudança de atitude dos discípulos. Também não quer dizer que eu acredito que Jesus hoje apareça diariamente às pessoas.

Quer dizer que eu creio que ele realmente ressurgiu dos mortos e que vive eternamente com aquele corpo ressurreto e glorioso, com o qual retornará em data não sabida a esse mundo, para buscar os seus e julgar os demais. Creio que a ressurreição de Cristo é essencial para o Cristianismo. Se Cristo não ressuscitou fisicamente dos mortos, o Cristianismo é uma farsa.

Creio em todos os milagres que a Bíblia relata. Isso não quer dizer que eu acredite que milagres acontecem todos os dias, que milagres contemporâneos são indispensáveis para que eu acredite em Jesus Cristo, que Deus cura somente pela fé e que tomar remédio e ir ao médico é pecado.

Também não quer dizer que eu acredite que os milagres narrados na Bíblia foram coincidências com fenômenos naturais, interpretados pelos antigos como ações de Deus, como uma enchente de barro vermelho no Nilo que parecia sangue, um tremor de terra exatamente no mesmo momento em que Josué mandou tocar as trombetas em Jericó ou um eclipse na hora que ele mandou o sol parar.

Quer dizer que eu creio que os milagres bíblicos realmente aconteceram conforme estão escritos, que não são mitos, lendas, sagas, estória sagrada ou midrashes. Creio que Deus, se quisesse, poderia fazê-los todos de novo hoje apesar de que, mesmo assim, os incrédulos continuariam a procurar outras explicações.

Creio em verdades absolutas. Isto não quer dizer que eu ignore que as pessoas têm diferentes compreensões de um mesmo fato. Quer dizer apenas que, para mim, quando não se complementam, tais diferentes compreensões são contraditórias e uma delas – ou várias – devem estar erradas.

Acredito nas doutrinas centrais da fé, em absolutos morais, em leis transcendentes de aplicação universal, em declarações unívocas e também que Deus se revelou de maneira proposicional nas Escrituras.

Creio em tolerância. Isto não quer dizer que eu seja inclusivista e relativista, mas simplesmente que não deixarei de me relacionar com uma pessoa simplesmente porque considero que ela está equivocada teologicamente. Para mim, a tolerância pregada pelo mundo moderno é aquela característica de pessoas que não têm convicções, que não têm opiniões formadas sobre nada e que vivem numa perpétua metamorfose ambulante.

Eu acredito que é possível, sim, ter convicções profundas – especialmente na área de religião – e ainda assim se manter o diálogo com quem diverge.

Creio que somente mediante a fé em Jesus Cristo como único Senhor e Salvador é que as pessoas podem ser perdoadas e salvas. Isto não quer dizer que eu desconheça o fato de que existem pessoas de bem, honestas, sinceras e de boa conduta entre aqueles que não acreditam em Deus e muito menos em Cristo.

Tampouco quer dizer que todos aqueles que têm fé em Jesus Cristo são perfeitamente bons, justos e santos. O que eu quero dizer é que somos todos pecadores, uns mais, outros menos, uns ostensivamente, outros em oculto, e que somente pela confiança no que Cristo fez por nós é que poderemos ser aceitos por Deus – e não por méritos pessoais. Neste sentido, acredito que fora da fé em Cristo não há salvação, perdão ou reconciliação com Deus.

Tem mais coisa a ser incluída neste credo fundamentalista, mas só isto já está bom. O que eu quero mostrar é que tem muita gente que tem o mesmo credo acima e que é fundamentalista sem saber.

Vida Nova
http://www.conscienciacrista.com.br/geral-2011/layout.php?subaction=showfull&id=1292608328&archive=&start_from=&ucat=14,18,31

Um movimento conservador no Brasil?

Heitor De Paola


“Um povo que aceita perder uma fatia de sua liberdade em troca de segurança, não merece ter nem liberdade, nem segurança”. — Benjamim Franklin

A imensa reação contra o aborto que certamente influenciou o resultado do primeiro turno das eleições brasileiras carreando votos de Dilma para Marina, somada à derrota acachapante de Obama nas eleições parlamentares americanas um mês depois, animaram setores conservadores em nosso País. A força imensa do Movimento Tea Party nos dois anos de desmandos de Obama contra a liberdade, as tradições e os princípios arraigados no American Way of Life despertou sonhos de que tal movimento pudesse se repetir no Brasil.

Mais animadora ainda foi a notícia da pesquisa realizada pelo Vox Populi em 05/12 mostrando que 82% da população é contra o aborto, 63% contra o casamento homossexual e 87% contra a legalização do consumo de drogas.


Certamente existem no Brasil vários movimentos conservadores, mas todos são de elite intelectual, os quais até o momento não conseguiram fazer contato político produtivo com esta imensa massa de cidadãos comuns apontada pelas pesquisas. Cabe então fazer uma comparação com o ocorrido recentemente nos EUA, bem assim como uma análise sucinta das diferenças históricas entre os dois povos. O movimento que virou a política americana do avesso em menos de dois anos tem raízes profundas no que há de mais expressivo historicamente naquele País, das raízes do movimento pela Independência, simbolizado pelo nome escolhido, Tea Party, em referência à reação revolucionária contra o aumento dos impostos cobrados pela Coroa Britânica após a aprovação do Stamp Act de 1765, que obrigava ao pagamento de um imposto mediante um selo aplicado a todos os documentos legais e jornais circulantes nas Colônias. Esta reação foi alimentada pelo brado de no taxation without representation (sem representação, nada de impostos) e ao boicote de mercadorias inglesas chegando à rebelião plena em 16 de dezembro de 1773 em Boston quando os carregamentos de chá foram jogados ao mar. A reação foi violenta, mas encontrou os colonos unidos em Comitês, seguindo o criado por Samuel Adams em Boston um ano antes. O parlamento inglês editou novas leis destinadas a punir os revoltosos, os Intolerable Acts, levando à convocação do Primeiro Congresso Continental em 1774. Em menos de dois anos e após uma guerra contra o domínio britânico, as Colônias se tornaram independentes.


No Brasil o único movimento de independência foi a Inconfidência Mineira, até mesmo inspirada nos acontecimentos nas Colônias do Norte. No entanto, o movimento não partiu do povo, mas sim de proprietários rurais, intelectuais, clérigos e militares, os mais prejudicados pela derrama, o imposto extra sobre os 'homens bons' para completar cem arrobas de ouro. Dois fatores estabelecem a diferença com os EUA: a falta total de apoio popular, tornando o movimento uma mera conspiração, enquanto lá os Comitês eram abertos. E a expressão meramente regional, pois ainda não havia uma consciência nacional. O País, ainda dividido em Capitanias não permitia que reverberasse uma identidade nacional. Assim, foi fácil a violenta repressão da Coroa Portuguesa.


Por outro lado, enquanto a Conquista do Oeste e a expansão da nacionalidade foi feita lá por homens livres em busca de território para se instalar e cuidar de suas vidas, quase sem atuação da União, aqui as Entradas era financiadas pela Metrópole e as Bandeiras eram expedições que, embora financiadas por particulares, tinham o único propósito de explorar e não colonizar permanentemente.

Finalmente, os brasileiros não têm experiência, e conseqüentemente noção, do verdadeiro significado de liberdade individual, vivendo desde sempre sob o tacão português e depois de governos autoritários, iludidos por uma falsa sensação de proteção.


Fonte: Mídia Sem Máscara

Divulgação: http://www.juliosevero.com/

Leia também:

Por que não sou socialista

Brasileiros rejeitam em maioria esmagadora agenda abortista e homossexualista do partido do governo

A REDE GLOBO E SUA APOLOGIA AO ADULTÉRIO

Há algum tempo escrevi um texto com o seguinte título: AS NOVELAS DA GLOBO E A APOLOGIA AO ADULTÉRIO no qual analisei a forma como os roteiristas das telenovelas da GLOBO justificam o adultério dos seus personagens, ou seja, por meio de um esquema de triângulos amorosos no qual determinado personagem é casado com outro que só lhe traz sofrimento até conhecer um terceiro, cujas qualidades são excepcionais, com o qual se envolve amorosamente.

Porém desta vez o que me chamou a atenção foi o roteiro da recém determinada mini-série "As Cariocas". Nem foi preciso acompanhar os episódios, pois as chamadas convidando o público para assistir os mesmos foi suficiente me convencer do que vou expor. Ou seja, que se nos baseássemos nesta mini-série para construirmos o perfil da mulher carioca, chegaríamos a conclusão de que esta é adúltera e excessivamente vulgar. Pois todos os episódios sem qualquer excessão expuseram o mesmo esquema de conduta ou padrão de comportamento das personagens, "as cariocas", todas adúlteras. Mais uma vez a Globo apelou para vulgaridade como meio de obter audiência, desta feita, desrespeitando todas as mulheres do Rio de Janeiro ao descrevê-las do modo supracitado.

E isto me faz pensar na forma como as emissoras de televisão parecem estar empenhadas em contrariar o que denominamos de moral cristã, pois tais emissoras atacam furiosamente o casamento e a estrutura familiar em moldes cristãos em favor de qualquer coisa que seja contrária ao cristianismo. Mas uma vez o mundo está repleto de inimigos da cruz de Cristo, pois tudo o que for anticristão possui total espaço nos meios de comunicação no nosso país (televisão, rádio e impressos em geral), sendo encarado como atitude moderna, original, de vanguarda, e por isto digna de ser propagandeada.

Quando falo que tudo o que for anticristão encontra amplo apoio em nosso país, quero dizer tudo mesmo, de ideias a comportamentos. Faz pouco tempo que um ateu militante, Richard Dawkins, escreveu o livro "Deus Um Delírio", livro encontrado em quase todas as prateleiras de livros em supermercados, porém os que se dedicaram a refutar esta obra, tais como Alister Mcgrath e John Lennox, ambos professores em Oxford, instituição na qual Dawkins também leciona, não tiveram o mesmo espaço midiático que Dawkins para expor O Delírio de Dawkins (título da obra de Mcgrath).


Tal cenário me leva a fazer um apelo aos homens e mulheres cristãos deste país para que consagrem todo ser em defesa da glória de Cristo. Todo ser mesmo, sejam bons naquilo fazem, ocupem espaços importantes e de influência na sociedade, ampliem ao máximo os seus conhecimentos e ponham isto em defesa da honra de Cristo, criem o seus filhos fundamentos em valores cristãos sólidos e os estimule a servir a Cristo por meio de suas profissões, talentos, aptidões.
 
Fonte: Sociedade Calvinista

12/24/2010

Um abismo chama outro abismo! Advogado de homem acusado de incesto pergunta: se o sexo homossexual é legal, por que não isso?

Advogado de homem acusado de incesto pergunta: se o sexo homossexual é legal, por que não isso?

Matthew Cullinan Hoffman

17 de dezembro de 2010 (Notícias Pró-Família) — O advogado de David Epstein, um professor da Universidade de Columbia acusado de incesto com sua filha adulta, está defendendo o sexo entre membros de família ao apelar para os “direitos” homossexuais como precedente.

Matthew Galluzzo, advogado de Epstein, disse para o noticiário ABC News que “os homossexuais têm liberdade para fazer o que quiserem em seu próprio lar. Como é que isso é tão diferente? Temos de tentar entender o motivo por que certas condutas são toleradas e outras não”.

“O que acontece em privado entre adultos que consentem não deveria ser legislado. Essa não é a esfera apropriada da nossa lei”, Galluzo disse para o site noticioso Huffington Post, que publica os artigos de Epstein. “Se presumirmos por um momento que ambas as partes deram seu consentimento, então por que estamos processando isso?”

“Academicamente, é óbvio que estamos, em termos morais, completamente opostos ao incesto, e com muita razão”, Galluzzo declarou em sua entrevista a ABC. “Ao mesmo tempo, há um argumento para se fazer no caso suíço de não se incomodar o que ocorre na privacidade dos quartos de dormir”.

Galluzzo estava se referindo a uma iniciativa legislativa suíça de legalizar o incesto entre adultos que consentem, uma medida que não foi aprovada e, de acordo com a imprensa, tem a rejeição de 60% dos cidadãos suíços.

A professora Joanna L. Grossman, numa entrevista a ABC News, apontou para a redação da decisão de 2003 do Supremo Tribunal derrubando as leis contra a sodomia. A decisão, disse Grossman, indicou que o governo não pode proibir “conduta íntima ou sexual privada e consensual que não envolve menores de idade ou coerção”. As mesmas palavras, por consequência lógica, tornariam o incesto legal.

Galluzzo nega que a filha de Epstein, que tinha 21 anos quando o relacionamento aparentemente começou, seja vítima. Embora tenha insistido em que as acusações são “apenas alegações” e sem provas, Galluzzo afirma que a filha de Epstein poderia “melhor ser descrita como cúmplice”.

Artigos relacionados:

Woman Sues Planned Parenthood for Covering up Incest - Suffered Years of Abuse

London Times Runs Article Promoting Incest

Nothing Wrong With Incest If Secular Worldview Is True

Liberal MP Warns Gay Marriage will Logically Lead to Incest

Traduzido por Julio Severo: http://www.juliosevero.com/

Fonte: http://noticiasprofamilia.blogspot.com/

Veja também este artigo original em inglês: http://www.lifesitenews.com/news/attorney-for-man-accused-of-incest-asks-if-homosexual-sex-is-legal-why-not

Copyright © LifeSiteNews.com. Este texto está sob a licença de Creative Commons Attribution-No Derivatives. Você pode republicar este artigo ou partes dele sem solicitar permissão, contanto que o conteúdo não seja alterado e seja claramente atribuído a “Notícias Pró-Família”. Qualquer site que publique textos completos ou grandes partes de artigos de Notícias Pró-Família ou LifeSiteNews.com em português tem a obrigação adicional de incluir um link ativo para “NoticiasProFamilia.blogspot.com”. O link não é exigido para citações. A republicação de artigos de Notícias Pró-Família ou LifeSiteNews.com que são originários de outras fontes está sujeita às condições dessas fontes.

NÃO SOU TOTALMENTE CONTRA O NATAL

Por Augustus Nicodemus Lopes

Como todos os cristãos em geral, eu sou contra a secularização do Natal, o comércio que se faz em torno da data, as festas e bebedeiras que ocorrem na época. Todos sabemos que Papai Noel, árvores de Natal, guirlandas, bolinhas brilhantes e coloridas, bengalinhas de açúcar e anjinhos pendurados nas árvores, nada disso faz parte do Natal. São acréscimos culturais e pagãos feitos ao longo dos séculos e certamente não pelos verdadeiros cristãos.

Por isto, acho que não deveríamos ter nos cultos de Natal qualquer desses símbolos, desde Papai Noel até a árvore. Há quem pense diferente. Ellen White, profetiza mor do Adventismo, ensinava que se deveria ter uma árvore de Natal no culto e que a mesma poderia ser enfeitada durante a celebração. "Deus muito Se alegraria se no Natal cada igreja tivesse uma árvore de Natal sobre a qual pendurar ofertas, grandes e pequenas, para essas casas de culto”. [1] Sou veementemente contra essa idéia.

Também sou contra fazer de 25 de dezembro uma espécie de dia “santo”. Para nós, há somente um dia “santo”, por assim dizer, que é o dia do Senhor, o domingo. A maioria dos cristãos esclarecidos sabe que a data 25 de dezembro foi escolhida depois do período dos apóstolos, por três razões: para substituir as celebrações pagãs da Saturnália, substituir as celebrações do solstício do inverno, quando era adorado o Sol Invicto e por ser a data de aniversário do imperador Constantino. Todos estão conscientes de que Jesus pode não ter nascido – e provavelmente não nasceu – nessa data. Ela é uma convenção apenas, aceita pela Cristandade desde tempos antigos.

Por causa dos abusos, dos acréscimos pagãos e do desvirtuamento do sentido, muitos têm se posicionado contra as celebrações natalinas no decorrer dos séculos. Posso entender perfeitamente seus argumentos. Um bom número de seitas, por exemplo, insiste que o Natal é uma festa pagã e que todos os verdadeiros cristãos deveriam afastar-se dela. As Testemunhas de Jeová estão entre as que atacam de maneira mais ferrenha as festividades natalinas. Num artigo intitulado Crenças e Costumes que Desagradam a Deus as Testemunhas de Jeová argumentam: "Jesus não nasceu em 25 de dezembro. Ele nasceu por volta de 1° de outubro, época do ano em que os pastores mantinham seus rebanhos ao ar livre, à noite (Lucas 2:8-12). Jesus nunca ordenou que os cristãos celebrassem seu nascimento. Antes, mandou que comemorassem ou recordassem sua morte (Lucas 22.19,20)".[1] Todavia, considerando a rejeição aberta e agressiva que as TJs mantém contra a Encarnação e a divindade de Jesus Cristo, não se poderia esperar outra atitude deles.

Mais recentemente, igrejas e pregadores neopentecostais passaram a atacar duramente os cultos natalinos. Os argumentos são similares aos das seitas contra o Natal, só que com mais ênfase no caráter pagão-satânico do bom velhinho. O ataque é resultado da visão dicotomizada de mundo que costuma caracterizar os pentecostais (não a todos, obviamente) e faz parte das críticas que fazem aos programas de Disney, às cartas de baralho, às mensagens satânicas subliminares em músicas de rock, etc., o que enfraquece bastante a força dos seus ataques ao Natal.

Os abusos e distorções também têm provocado reação contrária de pastores e estudiosos reformados. Os argumentos são basicamente os mesmos empregados pelas seitas e pelos neopentecostais, sem que com isso queiramos comparar ou assemelhar esses grupos: falta de prescrição bíblica, incerteza da data exata do nascimento, origem pagã da festa e introdução de elementos pagãos ao longo do tempo.

Estou de acordo com as críticas feitas aos abusos e distorções. Todavia, acredito que precisamos jogar fora somente a água suja da banheirinha, e não o bebê. Penso que a realização de um culto a Deus em gratidão pelo nascimento de Jesus Cristo nessa época do ano, como parte do calendário de ocasiões especiais da Cristandade, se encaixa no espírito cristão reformado. Além do que, alguns dos argumentos usados para a cessação total da realização de cultos dessa ordem não me parecem persuasivos.

Por exemplo, o argumento do silêncio da Bíblia, usado quanto às prescrições de comemorar o nascimento de Jesus, para mim não é definitivo. A Bíblia silencia quanto a muita coisa que é praticada nos cultos das seitas, dos neopentecostais e mesmo dos reformados. Se formos interpretar e aplicar o chamado "princípio regulador" de modo estrito, teremos de abolir não somente os cultos natalinos, mas práticas como batizar membros durante o culto (não há um único caso de alguém que foi batizado durante um culto no Novo Testamento), só para dar um exemplo. Eu sei que a celebração dos anjos e pastores na noite do nascimento de Jesus, bem como a atitude dos magos posteriormente, não são argumentos suficientes para estabelecermos cultos natalinos, mas pelo menos mostra que não é errado nos alegrarmos com o nascimento do Salvador.

Os argumentos de que os Reformadores, puritanos e presbiterianos antigos eram contra o Natal também não é final. A começar pela falibilidade das opiniões deles, especialmente em áreas onde as Escrituras não tinham muita coisa a dizer. Há muita manipulação das opiniões desses antigos heróis da fé pelos seus seguidores hoje (entre os quais me incluo, mas não na categoria de seguidor cego). Quando eles concordam, são citados. Quando discordam, são esquecidos. Aliás, não tenho certeza que Calvino era contra cultos em ocasiões especiais do calendário cristão. Ao que parece, ele era favorável – a verificar.

A questão toda, ao final, é quanto ao calendário litúrgico, isto é, a validade ou não das igrejas reformadas realizarem cultos temáticos alusivos às datas tradicionais da Cristandade, como o nascimento de Jesus, sua paixão, morte e ressurreição, Pentecostes, etc. Nenhum Reformado realmente coloca 25 de dezembro como um dia santo, em mesmo pé de igualdade com o domingo. Trata-se de uma data do calendário litúrgico cristão, que pode ou não ser usado como uma ocasião propícia. As grandes confissões reformadas consentem com o uso dessas datas. A Confissão de Fé de Westminster diz que "... são partes do ordinário culto de Deus, além dos juramentos religiosos; votos, jejuns solenes e ações de graças em ocasiões especiais, tudo o que, em seus vários tempos e ocasiões próprias, deve ser usado de um modo santo e religioso." [3] A Segunda Confissão Helvética de 1566, produzida sob supervisão de Bullinger, discípulo de Calvino, declara (XXIV): "Ademais, se na liberdade cristã, as igrejas celebram de modo religioso a lembrança do nascimento do Senhor, a circuncisão, a paixão, a ressurreição e Sua ascensão ao céu, bem como o envio do Espírito Santo sobre os discípulos, damos-lhes plena aprovação". A velha Igreja Reformada Holandesa, no famoso Sínodo de Dort (1618-1619), adotou uma ordem para a igreja que incluía a observância de vários dias do calendário cristão, inclusive o nascimento de Jesus (art. 67). Isso mostra que, no mínimo, muitos Reformados eram favoráveis à celebração de datas especiais do calendário litúrgico cristão.

Por fim, creio, também, que a celebração do Natal no calendário cristão encaixa-se perfeitamente com a celebração dos grandes eventos da redenção pela oportunidade de esclarecer a doutrina da Encarnação (João 1.1-4,14). Afinal, o que deve ser celebrado não é simplesmente o nascimento de Jesus, mas a encarnação do Verbo de Deus, a vinda do Emanuel para a libertação do seu povo. Pode-se argumentar que esta doutrina (e outras quaisquer), podem ser ensinadas e celebradas regularmente pelo povo Deus, em qualquer domingo. Mas o argumento contrário também poderia ser usado: deveríamos parar de celebrar qualquer culto que não seja no domingo?

NOTAS

[1] Review and Herald, 11 de dezembro de 1879. Citado em http://www.cacp.org.br/Natal_e_os_adventistas.htm

[2] http://www.watchtower.org/t/rq/article_11.htm

[3] Confissão de Fé de Westminster, XXI, 5.

Fonte: http://www.ipb.org.br/portal/noticias/529-nao-sou-totalmente-contra-o-natal

(*) Péssimos pais, querem processar a Escola Britânica do Rio Janeiro por expulsar alunos acusados de fumar maconha. Parabéns ESCOLA BRITÂNCIA por combater o crime na sua raiz e firmeza diante do relativismo e imoralismo do construtivismo e desta elite hedonista e vazia de relevância! (*Nota - editor do blog)

Colégio expulsa alunos acusados de fumar maconha

Três pais de alunos vão processar a Escola Britânica, colégio particular bilíngue no Rio de Janeiro, por ter expulsado seus filhos sob a acusação de fumarem maconha durante viagem organizada pela escola na semana passada. Os três adolescentes, de 16 anos, foram obrigados a abandonar o passeio, em Pouso Alto, sul de Minas, no primeiro dia.

Segundo um dos pais, que não quis se identificar, os professores mandaram que eles voltassem de táxi. "Meu filho foi tratado como um criminoso. Ele não é e não vou admitir que façam isso com ele. O papel de uma escola é educar."

A Britânica é uma das escolas mais caras do Rio. Para entrar, os alunos pagam uma taxa de cerca de R$ 20 mil. As mensalidades giram em torno de R$ 3,5 mil. Procurada pelo Estado, a escola não quis se manifestar. Os pais decidiram processar o estabelecimento, o diretor e os professores envolvidos no episódio tanto na área cível quanto na criminal.

"A escola desrespeitou a dignidade dos alunos. Foi uma afronta aos direitos fundamentais dos menores. Os algozes (professores e diretor) foram insensíveis, desumanos, arbitrários e vão pagar por isso", afirmou o criminalista Nélio Machado, que representa as famílias.

O passeio da turma foi realizada na semana passada. Os três alunos estavam juntos, no mesmo quarto e, segundo o pai de um deles, os professores sentiram cheiro de maconha. "Eles foram interrogados e sofreram terror psicológico para confessar que tinham fumado. Logo depois foram expulsos do passeio." Segundo o pai, eles tiveram de encontrar uma maneira de voltarem para casa sozinhos. "Isso é inadmissível", afirma. Pouso Alto fica a 250 quilômetros do Rio.

Além do processo criminal, os pais vão tentar uma liminar para que os adolescentes possam continuar estudando na escola. "O que a escola fez é um exemplo negativo. Em vez de educar, resolveram tratá-los como criminosos." As informações são do Jornal da Tarde.

Fonte: UOL

Tratamento para "reverter" homossexualidade vira moda na Argentina afirma o portal da UOL

Joan Faus.

Buenos Aires, 24 dez (EFE).- A proliferação dos chamados tratamentos de "restauração sexual" que pretendem "reverter" a prática homossexual acendeu a luz de alerta no Instituto Nacional contra a Discriminação (Inadi) da Argentina, o único país latino-americano que reconhece o casamento igualitário.

As oficinas e cursos de capacitação sobre orientação sexual despertaram uma "preocupação" em algumas organizações sociais argentinas que estudam empreender ações legais por considerar seu conteúdo "discriminatório".

No meio da polêmica, Analia Mas, diretora da área jurídica do Instituto Nacional contra a Discriminação, a Xenofobia e o Racismo (Inadi), lembra que o objetivo de "curar o homossexual" viola o primeiro artigo da Lei contra a Discriminação.

O chamado Ministério de Restauração Sexual da Igreja da Cidade oferece cursos de educação sexual em nível básico e avançado.

"É uma educação sexual integral, emocional e espiritual com valores religiosos e princípios de vida básicos", explica à Agência Efe, Adriana Sanz, capacitadora do centro que oferece cursos em diferentes pontos do país.

Sanz afirma que os homossexuais representam uma "porcentagem grande" que vão à instituição para superar "problemas sexuais".

"Se alguém sente que a homossexualidade é problema, lhe causando dor, damos recomendações e múltiplas soluções para mudar", afirma a professora.

"A homossexualidade não é uma doença, é um desvio sexual. Se 'aprendemos' a função sexual, então podemos corrigir todos os desvios", declarou Sanz em seu site.

Outro grande centro de restauração sexual na Argentina é a Fundação Pró Integração e Saúde Sexual, que organiza cursos e tratamentos em Buenos Aires para pessoas "em conflito com sua sexualidade", afirmou Magali Luengas, psicóloga da instituição, à Agência Efe.

A maioria de seus clientes tem entre 18 e 30 anos e vão à entidade para tratar, entre outros assuntos, uma "orientação homossexual que consideram prejudicial para eles mesmos".

Segundo Esteban Paulón, presidente da Federação Argentina de Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transexuais (FALGBT), a maioria das pessoas que procuram estes tratamentos são adolescentes conduzidos por seus pais.

A Argentina se tornou o primeiro país latino-americano a aprovar uma reforma legal que permite a união entre pessoas do mesmo sexo.

Fonte: UOL

12/21/2010

O Governo Imoral do Lula vai pagar indenização de R$ 44,6 milhões para os comunistas da UNE

(*) O Governo Imoral do  Lula vai pagar indenização de R$ 44,6 milhões para os comunistas da UNE

Milhões de pessoas estão sofrendo e mortas nos hospitais; as famílias sendo destruídas em sua moral e virtude, não só pelas políticas sociais equivocadas, mas com o apoio nocivo dos programas da Rede Globo e Rede Record com o seu bispo da morte pró-aborto e igreja mercantilista, e as demais mirins; a agressão da educação pública petista de querer homossexualizar nossas crianças através do kit gay em nome do combate a homofobia. A liberdade de religião cristã e protestante deste governo é pior que a liberdade que tinha antes da república, principalmente, os verdadeiros religiosos que se colocam contrário a pedofilia, aborto e homossexualização. Um congresso fisiologista na sua maioria, um bando de exploradores maléficos do dinheiro público, e agora, uma entidade de estudantes que não faz nada em prol dos estudantes a não ser IDEOLOGIZAR os nossos adolescentes e  jovens pró bloco soviético, pró China comunista, pró Coréia do Norte, pró Cuba, etc...levando os jovens para o relativismo da liberação das drogas, da prostituição (sem nenhuma virtude em relação ao sexo e disciplina) e da rebeldia socialista, desembocando na formação dos mais imorais líderes na sociedade.

Que maravilha, esta entidade podre que não representa verdadeiramente os estudantes receberá R$ 44,6 milhões por sua fidelidade e obediência ao Governo Lula durante 8 anos e mais obediência aos próximos anos ao governo nocivo e anti-cristão do PT.

(*) Nota: Editor de Blog




******



Governo Lula vai pagar indenização de R$ 44,6 milhões para a UNE


Dinheiro deverá ser aplicado integralmente na construção de nova sede, no Rio, no mesmo lugar em que o antigo foi metralhado e incendiado em 31 de março de 1964, dia do golpe militar

Fonte
O Estado de São Paulo - Segunda Feira, 20 de Dezembro de 2010

No apagar das luzes, o governo Luiz Inácio Lula da Silva autorizou o pagamento de uma bolada de R$ 44,6 milhões à União Nacional dos Estudantes (UNE), como reparação pelos danos causados à entidade durante a ditadura militar (1964-1985). A primeira parcela, de R$ 30 milhões, caiu na conta da entidade na sexta-feira, 17, mesmo, depositada pela Comissão da Anistia, escalada para saldar a conta. Os R$ 14,6 milhões restantes entrarão no orçamento de 2011.

O dinheiro, segundo compromisso da direção da UNE, será integralmente aplicado na construção da nova sede, projetada pelo arquiteto Oscar Niemeyer. Com 13 andares, o prédio será erguido no mesmo terreno, na praia do Flamengo, onde o antigo foi metralhado e incendiado em 31 de março de 1964, dia do golpe militar. Doado à entidade pelo ex-presidente Getúlio Vargas em 1943, o local é hoje um dos endereços mais caros do País.

A pedra fundamental da obra será simbolicamente lançada em alto estilo na próxima segunda-feira, às 17hs, com a presença de autoridades, artistas e intelectuais de todo o País. Com dinheiro em caixa, a construção será iniciada no primeiro semestre em 2011 e a inauguração está prevista para 2013. Esta é primeira indenização coletiva paga pelo governo brasileiro por danos da ditadura.

A lei da anistia (1979) só ampara reparações de caráter pessoal a familiares e vítimas da repressão política. A reparação decorre de lei (número 12.260), proposta pelo Executivo e aprovada pelo Congresso em junho passado. Responsável pelo presente natalino, o presidente de Lula é o convidado de honra e deverá estar presente. Todos os ex-presidentes da entidade foram convidados, entre os quais o ex-governador de São Paulo José Serra, que está em viagem ao exterior e não confirmou presença.

A medida abre um precedente para indenização institucional a outras entidades civis, religiosas e políticas que sofreram perseguições nos anos de chumbo. Mas elas terão de se articular e seguir o mesmo caminho da UNE para aprovação de lei no Congresso. “É justo do ponto de vista político e histórico e totalmente defensável do ponto de vista jurídico”, afirmou o secretário nacional da juventude, ligado à Secretaria-Geral da Presidência, Beto Cury, que coordenou a tramitação do processo na comissão que fixou o valor.

O presidente da Comissão de Anistia, Paulo Abrão, explicou que a maioria dos países até prefere fazer reparações coletivas, sobretudo os que tiveram massacres de comunidades inteiras. É o caso do Chile, Peru, Colômbia, Bolívia e El salvador. “No caso da UNE, a agressão transpassa o dano individual, pois todo brasileiro estudante na ditadura foi subtraído no seu direito representativo”, explicou. “Aquele incêndio simboliza tudo o que foi ceifado em termos estudantis no país”.

Com a reparação, segundo Abrão, o estado democrático reconhece a importância do movimento estudantil na vida do país. “Além disso, o Brasil ganha mais um patrimônio histórico de um ícone da arquitetura mundial”, disse ele, referindo-se a Niemeyer. “Vamos causar inveja ao mundo, pois não haverá outra entidade estudantil no planeta com uma sede desse porte”, acrescentou. Segundo o dirigente, a nova sede será uma referência cultural dos tempos pré-64 e simbolizará a retomada do protagonismo do movimento estudantil na vida da nação.

Fonte: JORNAL JURID

12/20/2010

Califórnia decide pela proibição da união legal entre homossexuais

Casamento gay


Califórnia decide pela proibição da união legal entre homossexuais

Cerca de 18 mil casais do mesmo sexo já subiram ao altar na Califórnia.

Proibições também foram aprovadas nos estados do Arizona e da Flórida.

O estado americano da Califórnia aprovou em votação desta terça-feira (4) a emenda constitucional que proíbe o casamento homossexual, segundo a secretaria estadual. De acordo com a agência France Presse, com cerca de 95,8% dos votos apurados, a emenda passou por 52,1% contra 47,9%.

A "Proposta 8" defende a modificação da Constituição do estado para definir o casamento apenas como a união entre homens e mulheres, o que significaria derrogar a decisão do Tribunal Superior de Justiça da Califórnia, que legalizou as uniões homossexuais em maio. Desde então, cerca de 18 mil casais do mesmo sexo realizaram na Califórnia seu sonho de chegar ao altar.

O texto do referendo propunha a inclusão de uma emenda à Constituição estadual que afirma: "Somente o casamento entre um homem e uma mulher é válido ou reconhecido na Califórnia".

Paralelamente, duas propostas similares para proibir as uniões homossexuais ganharam com folga nos estados do Arizona e da Flórida nesta quarta.

Fontes: G1 e CREIO 

A homossexualidade é considerada crime em mais de 70 países e a Agenda Homossexual tem como finalidade destruir a Liberdade Religiosa por pregar que o Homossexualismo ou Homossexualidade é PECADO E PECAMINOSO e contrário todas as LEIS DE DEUS tanto do Antigo e Novo Testamento.

Secretário-geral da ONU pede mais respeito pelos “direitos” gays e transgêneros


Patrick B. Craine

NOVA IORQUE, EUA, 14 de dezembro de 2010 (C-FAM/Notícias Pró-Família) — Falando no aniversário de 62 anos em que a ONU adotou a Declaração Universal dos Direitos Humanos (DUDH) na sexta-feira, Ban Ki-moon, secretário-geral da ONU, pediu o fim das leis que criminalizam a homossexualidade e exigiu maior respeito por “direitos” homossexuais e transgêneros.

“Hoje, muitas nações têm modernas constituições que garantem direitos e liberdades essenciais. Mas a homossexualidade é considerada crime em mais de 70 países”, disse o dirigente da ONU. “Isso não está certo”.

A DUDH, disse ele, “não é chamada de a declaração ‘parcial’ de direitos humanos. Não é a declaração ‘às vezes’ de direitos humanos. É a declaração universal, garantindo a todos os seres humanos seus direitos humanos básicos — sem exceção’”.

A declaração do secretário-geral da ONU foi atacada por Austin Ruse, presidente do Instituto Católico de Família e Direitos Humanos (C-FAM), que disse para LifeSiteNews que Moon está “atribuindo à Declaração Universal dos Direitos Humanos o sentido de defesa à agenda gay”. A DUDH, disse ele, abrange homossexuais tanto quanto qualquer outra pessoa, mas “não inclui a agenda homossexual”.

“Há um bloco sólido de pelo menos 60 países na Assembleia Geral da ONU que não permitirá que isso ocorra”, acrescentou ele.

Moon falou num grande evento organizado na sede da ONU por ativistas homossexuais.

Susan Rice, embaixadora dos EUA na ONU, expressou revolta com uma recente votação numa comissão da Assembleia Geral que excluiu menções à “orientação sexual” de uma medida condenando assassinatos extrajudiciais de pessoas vulneráveis no mundo inteiro.

Rice prometeu que os Estados Unidos patrocinarão uma emenda à resolução. “Vamos permanecer firmes nesse princípio básico”, disse ela.

Eles tiveram o apoio do arcebispo Desmond Tutu, que falou por teleconferência. O prelado anglicano comparou as iniciativas homossexuais à luta contra o apartheid na África do Sul.

Contudo, Ruse disse que os negros americanos veriam a comparação de Tutu como “profundamente repulsiva porque há uma vasta diferença entre algo que é inato como raça e algo que é causado por fatores psicológicos ou trauma”.

A comparação entre raça e “orientação sexual”, disse ele, é “profundamente repulsiva” para aproximadamente metade, ou até mais, da Assembleia Geral da ONU.

Embora ele tenha reconhecido que a oposição ao homossexualismo tenha ido longe demais em certas partes do mundo, Ruse apontou para o fato de que os homossexuais na América do Norte e Europa estão “entre as pessoas mais ricas, realizadas e elogiadas de nossa sociedade”.

“Dizer que eles se comparam às pessoas que sofreram sob o apartheid é ridículo”, disse ele.

“O que isso realmente significa é que a agenda homossexual não só é uma moda, mas também se tornou normal na sociedade”, continuou ele. “O que estão tratando não é simplesmente acabar com e pena de morte e a criminalização da homossexualidade… Querem colocar a agenda homossexual em pé de igualdade, e ate mesmo acima, da liberdade religiosa”.

Traduzido por Julio Severo: http://www.juliosevero.com/

Fonte: http://noticiasprofamilia.blogspot.com/

Veja também este artigo original em inglês: http://www.lifesitenews.com/news/un-head-calls-for-more-respect-for-gay-transgender-rights

Copyright © LifeSiteNews.com. Este texto está sob a licença de Creative Commons Attribution-No Derivatives. Você pode republicar este artigo ou partes dele sem solicitar permissão, contanto que o conteúdo não seja alterado e seja claramente atribuído a “Notícias Pró-Família”. Qualquer site que publique textos completos ou grandes partes de artigos de Notícias Pró-Família ou LifeSiteNews.com em português tem a obrigação adicional de incluir um link ativo para “NoticiasProFamilia.blogspot.com”. O link não é exigido para citações. A republicação de artigos de Notícias Pró-Família ou LifeSiteNews.com que são originários de outras fontes está sujeita às condições dessas fontes.

Fonte: http://juliosevero.blogspot.com/

12/18/2010

Campanha Estadual pela reprovação do "PL 122/06 Paulista ou Lei da Mordaça Gay Paulista - Lei n° 10.948, de 5 de novembro de 2001" e pela aprovação do PROJETO DE LEI Nº 1068 , DE 2007 para revogar a iniquidade da respectiva Lei.

A Lei n° 10.948, de 5 de novembro de 2001, é manifestamente inconstitucional, por expressamente contrariar o artigo 5° da Constituição Federal ao qual estabelece os direitos e garantias fundamentais individuais e coletivos aprovado pelos respectivos políticos, além da força do PT pela institucionalização da iniquidade:

Deputado Renato Simões - PT - Autor do Projeto

GERALDO ALCKMIN - Governador

Edson Luiz Vismona - Secretário da Justiça e da Defesa da Cidadania

João Caramez - Ex-prefeito de Itapevi e Secretário-Chefe da Casa Civil

Antonio Angarita - Secretário do Governo e Gestão Estratégica

Publicada na Assessoria Técnico-Legislativa, aos 5 de novembro de 2001.

****

PROJETO DE LEI Nº 1068 , DE 2007


Revoga a Lei nº 10.948, de 5 de novembro de 2001, que dispõe sobre as penalidades a serem aplicadas à prática de discriminação em razão de orientação sexual e dá outras providências.


A ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE SÃO PAULO decreta:

Artigo 1º - Fica revogada a Lei nº10.948, de 5 de novembro de 2001, que dispõe sobre as penalidades a serem aplicadas à prática de discriminação em razão de orientação sexual.


Artigo 2º - Esta lei entra em vigor na data de sua publicação.

JUSTIFICATIVA

A Lei n° 10.948, de 5 de novembro de 2001, é manifestamente inconstitucional, por expressamente contrariar o artigo 5° da Constituição Federal ao qual estabelece os direitos e garantias fundamentais individuais e coletivos, haja vista que nossa constituição não distingue homens ou mulheres de heterossexuais ou homossexuais, estabelecendo que todos, “todos” são iguais perante a lei. Com essa previsão não há que se falar em legislar exclusivamente para uns e não para o todo. Ademais o Código Civil utiliza o termo “pessoa”, mais uma vez garantindo a todos o direito e o dever plenamente equiparado.

Claro está, que a lei 10.948, contraria a Constituição Federal, desigualando-se os iguais, com o que nomeia “manifestação atentatória ou discriminatória praticada contra homossexual, bissexual ou transgênero”, não havendo uma balança que iguale a todos os brasileiros. Para a lei n° 10.948, iguais são os homossexuais, os bissexuais ou os transgêneros e segundo a norma a simples manifestação atentatória a qualquer dessas pessoas já é passível de punição.

A Constituição Federal preserva e quer garantir a inviolabilidade do direito dentro da igualdade, não cabendo a essa Assembléia Legislativa desigualar quem a Carta Magna igualou.

Diante do exposto, com a finalidade de garantir a igualdade dentro do Estado de São Paulo, conto com o apoio dos nobres parlamentares para a aprovação do presente projeto de lei.

Sala das Sessões, em 13-9-2007


a) WALDIR AGNELLO - Deputado Estadual

Fonte:

http://www.al.sp.gov.br/spl_consultas/consultaDetalhesProposicao.do?idDocumento=741156&act=detalhe¤tPage=1¤tPageDetalhe=1&rowsPerPage=10

Para que Jesus Nasceu?

Por Rev. Fernando de Almeida


“Por esta razão nasci e para isto vim ao mundo: para testemunhar da verdade. Todos os que são da verdade me ouvem". (Jo 18.37) - Jesus Cristo

Talvez fosse melhor começarmos dizendo para que Jesus não nasceu:

1. Ele não nasceu para que eu tivesse o recesso de final de ano.

2. Ele não nasceu para que eu pudesse saciar minha sede por consumo.

3. Ele não nasceu para que, em uma noite, pudesse afrouxar meus freios morais e sociais.

4. Ele não nasceu para que eu pudesse reunir a família em uma refeição.

5. Ele não nasceu para que eu enfeitar minha casa com luzes e um pinheiro com bolas coloridas.

6. Ele não nasceu para eu trocar presentes no amigo secreto.

Não há nada de errado em reunir a família ou trocar presentes. O problema é quando deixamos o sentido mais importante do natal, que é o nascimento do Deus-homem, por coisas secundárias. Seria como uma criança pequena ao receber um presente caro. Ela abre o embrulho e despreza o conteúdo, ficando com a brincar com a embalagem e as fitas. São coloridas, chamam a atenção, mas não tem valor em si; o valor estava no conteúdo menosprezado. Para muitos, a comemoração do natal é assim. Perdem a oportunidade de se voltarem para Cristo se esquecendo que diante dele, tudo mais é fita e enfeite.

Jesus disse que veio a esse mundo com objetivos bem específicos. Ele teve como missão testemunhar a verdade. Em outro lugar, ele já havia asseverado: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai, a não ser por mim.” (Jo 14.6)

Imagine tudo o que está envolvido na encarnação do Filho de Deus: o nascimento virginal, os milagres que realizou, a pregação que toca o coração humano... Isso é a verdade. Seu ministério entre nós apontou a falência da natureza humana, bem como a necessidade e a possibilidade de redenção; Jesus mostrou-se como sendo o único capaz de trazer o ser humano para seu propósito criacional; restaurar aquela medida de santidade sobre a qual o Pai testificou: “viu Deus tudo quanto fez e viu que era muito bom”!

Além de saber o sentido original do Natal, Jesus nos incentiva também a um relacionamento profundo com ele. É importante ser dito isso pois são poucos os que desconhecem o fato da festa do Natal ter sua razão no nascimento de Jesus. Esse conhecimento, mesmo sendo quase universal em nossa sociedade, para nada serve. A Verdade, quando aplicada à mente, precisa mudar o coração e, conseqüentemente, os atos. Nossa vida revela o quanto conhecemos a Verdade. Por essa razão Jesus disse: “Todos os que são da verdade me ouvem". Ouvir é muito mais do que a capacidade da audição; é andar de acordo. É o mesmo sentido que uma mãe fala ao filho desobediente: “Se você tivesse ouvido a mamãe...”

Ouvir é prestar atenção e obedecer. Talvez, seja por ocasião desse Natal, que você perceba a necessidade de ter Cristo de fato por mestre e assentar-se aos seus pés, como os apóstolos faziam. É para isso que o Natal serve. É uma oportunidade de escutarmos de maneira ainda mais clara a respeito do testemunho, da prova irrefutável do amor de Deus manifesto em Jesus. Isso é a verdade. Não abra mão dela. (Pv 23.23).


Fonte: http://www.ipb.org.br/portal/noticias/527-para-que-jesus-nasceu

Março/2011 - II Congresso Internacional de Religião, Teologia e Igreja - A atuação do cristão na esfera pública (Universidade Presbiteriana Mackenzie)

Palestrantes

Dr. Wayne Grudem
Dr. Hernandes Dias Lopes
Dr. Augustus Nicodemus Gomes Lopes
Ms. Franscisco Solano Portela Neto

Oficinas

Ms. Franklin Ferreira
Dr. Rodrigo Franklin de Souza
Dr. Edson Pereira Lopes
Ms. Fabiano de Almeida Oliveira
Dr. Heber Carlos de Campos
Dr. Heber de Carlos Campos Jr.
Dr. Paulo Rodrigues Romeiro

Data: 14/03/2011

Data Final: 16/03/2011

Horário Inicio: 08:30

Local: Rua da Consolação, 896 Prédio 19 - Higienópolis - São Paulo

Setor: Chancelaria e Escola Superior de Teologia

Contato: (11) 2114-8718

Fonte: http://www.mackenzie.br/portal/dhtm/assessoria_comunicacao/eventos/index.php?dia_evento=14&mes=3&ano=2011&operacao=pesquisar

12/17/2010

THE CHILD LOVE MOVEMENT: UM OLHAR CRÍTICO SOBRE O ATIVISMO PEDÓFILO

THE CHILD LOVE MOVEMENT: UM OLHAR CRÍTICO SOBRE O ATIVISMO PEDÓFILO


Suheyla Fonseca Misirli Verhoeven
Advogada, Professora Universitária e Mestranda em Políticas
Públicas e Processo do Centro Universitário Fluminense - UNIFLU
Faculdade de Direito de Campos, RJ.
 
http://www.conpedi.org.br/manaus/arquivos/anais/campos/suheyla_fonseca_verhoeven.pdf
 

Lider Gay - Luiz Mott: Pedofilia já! Enquanto ainda estou com tudo em cima...

Aviso: a matéria abaixo, escrita por Jael Savelli, contém trechos altamente obscenos extraídos de sites homossexuais. Por isso, pede-se aos pais que não permitam que seus filhos pequenos leiam a matéria.

Texto de Jael Savelli

“Se Deus não existe, então tudo é permitido”. Dostoievski

“Tudo é permitido a quem age a favor da revolução”. Collot d’Herbois

“Ai dos que ao mal chamam bem e ao bem, mal; que fazem das trevas luz e da luz, trevas; põem o amargo por doce e o doce, por amargo!” Isaias 5:20

“Não vos enganeis, de Deus não se zomba, pois tudo o que o homem semear, isto também ceifará”. (Gálatas 6:7).

Luiz Mott, 61 anos, é decano do Movimento Homossexual no Brasil; fundador do Grupo Gay da Bahia; autor de um artigo em que afirma que Jesus era um sodomita ativo e o evangelista São João, seu amante favorito.

http://www.gaybrasil.com.br/mott.asp?Categoria=Artigos&Codigo=256

Professor Titular do Departamento de Antropologia da UFBa; membro da Comissão Nacional de Aids do Ministério da Saúde - CNAIDS e do Conselho Nacional de Combate à Discriminação do Ministério da Justiça, agraciado com o grau de Comendador da Ordem do Rio Branco pelo presidente FHC.

http://diversidadetucana.zip.net/

Luiz Mott é o mentor e principal articulador do Projeto de Lei 122/2006, a chamada Lei Anti-Homofobia, aguardando aprovação pelo Senado Federal, e de inúmeras leis semelhantes que estão sendo votadas e aprovadas nos estados e municípios da União: “Já há quase 80 municípios que proíbem a discriminação contra os homossexuais. Em São Paulo, além da capital, Cabreúva e São Bernardo do Campo. Lutamos para que seja incluída na Constituição Federal a proibição de discriminar por ‘orientação sexual’, como acontece na Constituição da África do Sul”.

http://br.geocities.com/luizmottbr/entrev13.html

Pesquisando no Google sobre a vida e a obra de tão ilustre cidadão, deparei com um site de pedófilos brasileiros onde há uma indicação com louvores para a leitura da crônica “Meu Moleque Ideal”, de autoria do Professor Luiz Mott.

Meu Moleque Ideal

Elogios de pedófilos ao artigo

Pedofilia & Pederastia - O sexo entre Adultos & Jovens

Descobri que os pedófilos identificam a si mesmos como “homens que amam meninos”. A repulsa que experimentamos diante da idéia de crianças serem atraídas, enganadas e usadas sexualmente por adultos, eles chamam depreciativamente de “pânico moral” ou de “histeria da opinião pública”. O Doutor Luiz Mott provê adiante uma amostra exemplar do que exatamente estes “amantes de ‘moleques’” estão falando ao se referirem a “amor”.

Enfim, Luiz Mott em suas próprias palavras:

“Meu nome é Luiz Roberto de Barros Mott. Nasci em 6 de maio de 1946”.

http://br.geocities.com/luizmottbr/autobio.html

“Eu fui casado cinco anos, tenho duas filhas e sou bichona”.

www.terra.com.br/istoegente/43/reportagens/rep_gays.htm

“No seminário, tanto quanto no noviciado, fui um adolescente marcado pela espiritualidade… Realmente vivia o dia todo pensando em Deus…”

“Ainda tinha um pouco de preocupação cristã na faculdade, mas… Com a leitura de A Ideologia Alemã… e depois estudando antropologia, me dei conta que as minhas verdades absolutas, em termos de cristianismo, eram relativas…”

“Como sentia atração homoerótica… fui vendo como o cristianismo era intolerante, repressor e equivocado em relação a isso. Neste sentido, o materialismo histórico poderia… resolver as minhas angústias existenciais”.

“Com o tempo deixei de acreditar em Deus”.

“Portanto, deixei de ter qualquer tipo de consciência pesada, no que refere a essa forma de relação”.

“Casualmente, encontrei um rapaz numa dessas aventuras noturnas… Na época, eu devia ter uns trinta anos e ele uns dezoito ou dezenove. Este foi um grande encontro!”

“Queria estar apenas com ele, realmente mudar de vida e assumir-me exclusivamente homossexual. Isso após cinco anos de um casamento tranqüilo. Foi um processo extremamente traumático”.

“Na época, minha mulher estava fazendo o mestrado… Ela reagiu negativamente… Isso causou um trauma familiar enorme”.

“Minha ex-mulher mudou para sua cidade natal… Fiquei em Campinas, morando com ele… numa outra casa que comprei. Após um ano de felicidades, notamos que éramos muito diferentes e resolvemos nos separar”.

“Campinas se tornou muito pequena para mim... muito familista. Há muito tempo possuía uma fantasia de viver no nordeste… na Bahia. Era o lugar do Brasil onde me sentia mais desejado sexualmente. Ao mesmo tempo, onde encontrava os parceiros que mais preenchiam minhas fantasias sexuais… sempre gostei de negros”.

“Hoje, após 30 anos de separação, não me arrependo um só minuto desta decisão. Para mim, a homossexualidade foi uma graça!”

“Nos últimos 36 anos de prática homoerótica, calculei que devo ter transado mais ou menos com uns 500 homens diferentes”.

Aviso: É absurdamente obsceno o que vem a seguir. Tem que ter estômago forte para ler. Sinto muito, mas foi necessário incluir aqui estas declarações que o próprio Luiz Mott fez.

Considero-me um gay felizardo pois amo e sou amado por um homem maravilhoso que preenche plenamente minhas fantasias e desejos sexuais, afetivos e de companheirismo.

Analisando friamente as razões que levariam dois homens (ou duas mulheres, ou um homem e uma mulher) a viver com exclusividade uma paixão afetiva e erótica, creio que esta fidelidade poderia ser explicada quando menos por uma motivação bastante prática e mesmo oportunista: a dificuldade de encontrar um substituto melhor. Essa regra, constrangedora de ser constatada e verbalizada, parece ser universal: no dia em que a gente encontrar alguém que ofereça mais tesão, amizade e companheirismo do que a transa atual, ninguém é besta de continuar na mesmice em vez de optar pelo que promete ser muito melhor.

No fundo, todos nós, gays (e não gays) alimentamos em nossa imaginação um tipo ideal do homem que gostaríamos de amar e ter do lado. E que nem sempre é igual à nossa paixão atual. O ideal pode ser alto e branco, o real, baixo e preto.

No meu caso, para dizer a verdade, se pudesse escolher livremente, o que eu queria mesmo não era um “homem” e sim um meninão. Um “efebo” do tipo daqueles que os nobres da Grécia antiga diziam que era a coisa mais fofa e gostosa para se amar e foder.

Se nossas leis permitissem, e se os santos e santas me ajudassem, adoraria encontrar um moleque maior de idade mas aparentando 15-16 anos, já com os pentelhos do saco aparecendo, a pica taludinha, não me importava a cor: adoraria se fosse negro como aquele moleque da boca carnuda da novela Terra Nostra; amaria se fosse moreninho miniatura do Xandi; gostaria também se fosse loirinho do tipo Leonardo di Caprio. Queria mesmo um moleque no frescor da juventude, malhadinho, com a voz esganiçada de adolescente em formação. De preferência inexperiente de sexo, melhor ainda se fosse completamente virgem e que descobrisse nos meus braços o gosto inebriante do erotismo. Sonho é sonho, e qual é o problema de querer demais?!

Queria que esse meu príncipezinho encantado fosse apaixonado pela vida, interessado em aprender comigo tudo o que de melhor eu mesmo aprendi nestes 50 e poucos anos de caminhada. Que gostasse de me ouvir, que se encantasse com tudo que sei fazer (desde pudim de leite e construir uma estante de madeira, a cuidar do jardim e navegar na internet), querendo tudo aprender para me superar em todas minhas limitações. Que acordasse de manhã com um sorriso lindo, me chamando de painho, que me fizesse massagem quando a dor na perna atacar. Honesto, carinhoso, alegre e amigo. Que me respondesse sempre ao primeiro chamado, contente de ser minha cara metade.

Quero um moleque fogoso, que fique logo com a pica dura e latejando ao menor toque de minha mão. Que se contorça todo de prazer, de olho fechado, quando lambo seu caralho, devagarinho, da cabeça até o talo. Que fique com o cuzinho piscando, fisgando, se abrindo e fechando, quando massageio delicadamente seu furico. Cuzinho bem limpo, piscando na ponta do dedo molhado com um pouquinho de cuspe é das sensações mais sacanas que um homem pode sentir: o moleque querendo meu cacete, se abrindo, excitado para engolir a manjuba toda. Gostosura assim, só dois homens podem sentir!

Assim é como imagino meu moleque ideal: pode ser machudinho, parrudo, metido a bofe. Pode ser levemente efeminado, manhoso, delicado. Traço os dois! Tendo pica é o que basta: grossa ou fina, grande ou pequena, torta ou reta, tanto faz. Se tiver catinguinha no sovaco, uma delícia! Se for descarado na cama e no começo da transa quiser chupar meu furico, melhor ainda. Sem pudor, sem tabu.

Ah, meu menino lindo! Se você existir, se você algum dia me aparecer, que seja logo, pois quero estar ainda com tudo em cima e dar conta do recado, pois do jeito que quero te amar e que vamos foder, vou precisar de muito mocotó ou viagra para dar conta do rojão....".

Declarações de Luiz Mott registradas em Meu Moleque Ideal:

http://br.geocities.com/luizmottbr/cronica6.html

“Sonho é sonho qual é o problema de querer demais?!”

Se as minhas pesquisas acadêmicas provam e os meus dados científicos demonstram que…

“Estudos comprovam que ainda no útero o bebê já tem ereção e a teoria de Freud sobre a libido infantil hoje é aceita por todos”…

“O princípio secularmente imposto pelo cristianismo de que o sexo só é permitido após a bênção nupcial, fere um direito humano fundamental, inclusive dos jovens e adolescentes: o direito ao exercício de sua sexualidade e respeito à sua livre orientação sexual”.

“Direito inclusive que têm os jovens em escolher eventualmente um adulto como seu parceiro afetivo e sexual”…

Portanto…

“…que nossas leis sejam mudadas e sobretudo, que se mudem as mentalidades …daqueles que, sob a desculpa de proteger a inocência dos mais jovens, negam o direito inalienável das crianças e adolescentes de terem respeitadas sua livre orientação sexual e sua liberdade sexual”.
Pois…

O que foi bom para bárbaros e gregos deve ser ótimo para crianças, adolescentes e jovens brasileiros:
Inseminação aos primeiros sinais de puberdade com penetração anal por três anos e sexo oral praticado por meninos nos homens e rapazes mais velhos…

“Estudos antropológicos, acerca do comportamento das tribos em Papua (Nova Guiné) e nas ilhas da Melanésia, fornecem dados que evidenciam a atividade homoerótica, com graus de diferenciação, mas pautadas num mesmo princípio: de modo geral, acreditava-se que os meninos não produziam seu esperma naturalmente, daí, surgia a necessidade de inseminá-los aos primeiros sinais de puberdade, num processo de transição da infância para vida adulta”.

“Ao término da infância, todo menino era separado da mãe e retirado da casa das mulheres para dormir na casa dos homens, cabia ao tio materno a penetração anal, pelo período aproximado de três anos, assim, o esperma seria fornecido à criança, juntamente com suas propriedades de força e coragem necessárias à vida adulta”.

“Para os Sambia, que viviam no interior da selva de Papua, o ritual de iniciação tinha um caráter processual: a inseminação ocorria pelo sexo oral, em que, num primeiro estágio, os meninos praticavam nos homens e rapazes mais velhos. Gradualmente, havia uma inversão dos papéis, em que o menino passava ensinar a felação aos iniciados. Ao atingir a maturidade sexual, era realizada uma cerimônia, na qual, já adulto, o menino era incorporado ao grupo dos homens e tornava-se caçador”.

“Na Nova Guiné, entre os baruia, o sexo oral entre os homens de diferentes gerações e status é uma regra social e culturalmente aceita: nesse grupo cultural existe a crença de que a energia vital é transmitida pelo esperma, assim, os homens mais novos e as mulheres devem ser alimentados pelos homens mais velhos com essa energia”.

Grécia Antiga — “entre os atenienses, apenas os homens eram considerados cidadãos e tinham, portanto, direito e acesso ao conhecimento. Era comum e legítimo o relacionamento sexual entre o professor e o aluno, considerado o relacionamento amoroso mais sublime entre dois homens”.

“No Candomblé a sexualidade é entendida como um processo de troca de energias (‘axé’) e para lidar com as divindades é preciso estar cheio dessa energia. Desta forma, em determinados períodos rituais, o ato sexual é proibido sem haver, contudo, interdições referentes à homossexualidade ou à bissexualidade, que são reconhecidas como formas legítimas de vivenciar a sexualidade humana”.

“Uma educação diferenciada... poderá fazer desabrochar em todo o menino, o seu lado feminino e em toda menina, o seu lado masculino. Afinal, as crianças nascem para serem felizes”


Fonte: Guia de Prevenção das DST/Aids e Cidadania para Homossexuais

organizadora: Lilia Rossi Ministério da Saúde Secretaria de Políticas de Saúde

Coordenação Nacional de DST e Aids Setembro 2002
http://www.aids.gov.br/data/documents/storedDocuments/%7BB8EF5DAF-23AE-4891-AD36-1903553A3174%7D/%7BBDD340E2-7A14-4210-B4B9-DD5E8522C088%7D/guia_prevencao_dst_aids_cidadania_homossexuais.pdf

“Se nossas leis permitissem…”

Tentando dissimular o que explicitamente confessa, Luiz Mott refere-se aos seus delírios pedófilos como se fossem meros “sonhos”. Como fosse um cândido poeta, e não o ativista homossexual frio e pragmático que tem conseguido perverter as leis do país fazendo-as convergir para a realização de todos os seus sonhos “homoeróticos”. Sua cobiça é monstruosa e não conhece limites. Provocador, ele desafia: “qual o problema em querer demais?”

“Que nossas leis sejam mudadas e sobretudo, que se mudem as mentalidades…”

CONSPIRAÇÕES POR E-MAIL

Entre outros, “o problema” é o uso abusivo que ele faz do aparelho do Estado com o propósito de sujeitar todas as famílias brasileiras aos seus ideais obscenos. As estatísticas mentirosas, forjadas, para exigir tratamento e direitos especiais além dos que são providos ao cidadão comum. O problema são suas conspirações pela legalização da pedofilia. Como a que está registrada em uma troca de e-mail com Leo Mendes, membro da Comissão de articulação dos movimentos sociais do PN/Aids, e com Regina Facchini, antropóloga e vice-presidente da Parada do Orgulho Gay de SP. Trata-se de uma aula prática de engenharia social conforme descrita por Olavo de Carvalho tantas vezes.

No tal e-mail Luiz Mott e Leo Mendes aparecem tentando manobrar Regina Facchini a fim de convencê-la a iniciar e promover o debate sobre legalização da pedofilia junto às ativistas lésbicas. Regina, mais realista que os dois homens, esquiva-se da tarefa alegando que:

“Do ponto de vista da ciência política, sabe-se que independente de usar um termo mais amplo ou mais circunscrito, dificilmente um pedófilo viria a público reivindicar seus direitos ou que o movimento por diversidade sexual o defendesse, simplesmente pq é bastante forte a idéia de que a pedofilia é algo abominável na nossa sociedade”.

A líder lésbica argumenta que ainda é cedo para manobra tão audaciosa. É necessário enfraquecer mais a moral conservadora, ainda predominante no Brasil, antes que a batalha na frente legal/jurídica pela legalização da pedofilia possa ser iniciada. E esta forma de luta está sendo travada através do ativismo político, organizado, nas universidades e através da 'convivência comunitária'. É preciso aguardar que mais e mais formadores de formadores de opinião sejam formados dentro das universidades e saiam em campo formando advinhem “qual” opinião.

“Um termo como diversidade sexual me parece ter por foco combater a idéia de que há apenas uma sexualidade inteligível, a heterossexual reprodutiva que estabelece famílas sólidas e relações duradouras e monogâmicas. Talvez a atuação por esse caminho nas universidades, que são locais de formação de formadores de opinião, melhore as condições para a luta jurídica/legal num futuro próximo”.

Regina aproveita para parabenizar o vaidoso decano por uma 'estratégia genial' muito bem sucedida: os dados falsos sobre assassinatos de homossexuais motivados por 'homofobia'.

“Ainda que não seja o tipo de trabalho que eu faria, reconheço a coleta de dados sobre assassinatos que vc faz como uma estratégia absolutamente genial para vencer a invisibilidade da violência contra homossexuais”.

PEDÓFILOS ASSASSINOS E DIVERSIDADE SEXUAL é o título das mensagens escolhido por Leo Mendes e defendido por Luiz Mott nos seguintes termos:

“Creio que Leo, sempre tão arguto e ‘agent provocateur’, quiz chamar a atenção para tal polemica ao associar diversidade sexual a pedofilia - que no meu entender, é perfeitamente associável, pois diferentemetne de ORIENTAÇÃO SEXUAL, que inclui apenas Homo, Hetero e Bissexualidade, a Diversidade e a LIvre Expressão sexual incluem todas manifestações libidionosas, inclusive as anti-sociais e ilegais”.

O gancho para introduzir a 'provocação' é uma notícia de jornal sobre um nebuloso caso policial ocorrido a cerca de 15 anos — em Altamira, no Pará:

“Meninos, com idade entre 8 e 14 anos, foram seqüestrados e castrados na cidade de Altamira, localizada a 777km de Belém. Segundo o Ministério Público, os crimes que aconteceram entre 1989 e 1993 foram motivados por rituais de magia negra. As crianças encontradas, mortas ou vivas, estavam nuas, algumas com orifícios de arma de fogo, queimaduras de cigarro, olhos arrancados, pulsos cortados, órgãos sexuais extirpados cirurgicamente, sofreram abuso sexual e sevícias”.

http://www.google.com/search?q=meninos+emasculados+parana+&rls=com.microsoft:pt-br:IE-SearchBox&ie=UTF-8&oe=UTF-8&sourceid=ie7&rlz=1I7GGLG

Eis aí, estes auto-denominados defensores dos direitos humanos, como operam nos bastidores. Meninos foram barbaramente abusados até a morte. E tudo o que mereceu a atenção dos ativistas sociais foi a utilidade do “tema” para avançar algumas posições na sua guerrilha moral contra as famílias brasileiras. Sem esboçar a mínima sombra de compaixão ou sequer respeito pela memória das vítimas.

Em público apresentam-se como vítimas da sociedade e como os mais sinceros defensores dos interesses das crianças e dos jovens. Mas, no escurinho da web compartilham sentre si a face sinistra do seu amor por garotos. O que querem mesmo, a qualquer custo, é a permissão e a proteção do estado para poderem perpetrar sua pedofilia, livres de qualquer embaraço.

É importante lembrar que toda esta perversidade começa com grande auto-complacência seguida da escolha de uma ideologia favorável, resultando em mais auto-permissividade e mais reforço 'dialético', em espirais descendentes infernais.

Assim como faz com seus amantes (500 em 36 anos de atividades homoeróticas), Mott selecionou de forma “bastante prática e mesmo oportunista” a divindade a quem iria seguir. Um Deus soberano, criador e legislador do universo, não se enquadrava nos seus planos egocêntricos. Luiz Mott não seria “besta” de permanecer fiel às exigências morais de Deus, quando Karl Marx lhe prometia “um outro mundo possível”. Um mundo feito só de direitos e de nenhum dever em contrapartida. O Criador dos céus e da terra não era mesmo o tipo ideal de deus para Luiz Mott. Pior para quem?

“Como sentia atração homoerótica… fui vendo como o cristianismo era intolerante, repressor e equivocado em relação a isso. Neste sentido, o materialismo histórico poderia… resolver as minhas angústias existenciais". "Com o tempo deixei de acreditar em Deus”.

“Portanto, deixei de ter qualquer tipo de consciência pesada, no que refere a essa forma de relação”.
Um abismo chama outro abismo. Tal é a situação espiritual e mental destes homens e mulheres. Estão mergulhados em densas trevas. Sua própria cobiça enredou-os. Do vale da morte por onde erram só é possível escapar com a intervenção pessoal e direta de Deus. Mas, seria necessário que o perdido fizesse a coisa mais difícil e humilhante que um orgulhoso amante de si mesmo jamais faria livremente: Negar-se a si mesmo e implorar por perdão e ajuda.

Trechos das mensagens trocadas entre Luiz Mott, Leo Mendes e Regina Facchini:

DIVERSIDADE SEXUAL - PEDÓFILO ASSASSINO

http://archives.lists.indymedia.org/cmi-mulheres/2004-April/001006.html

Assunto: Re: Re: DIVERSIDADE SEXUAL — PEDÓFILO ASSASSINO p/ MOTT e demais

[Cmi-mulheres] repassando (que nao deve ser repassada) discussao - feminismo, diversidade sexual

isadoralins em riseup.net isadoralins em riseup.net

Sexta Abril 30 20:46:08 PDT 2004

Mensagem anterior: [Cmi-mulheres] repassando discussao - feminismo, diversidade sexual

Mensagens classificadas por: [ date ] [ thread ] [ subject ] [ author ]


>Gente, Achei tao interessante a discussao q repassei pra cah meio sem pensar.

>Agora acho q posso ter feito algo nao muito legal, pq tirei uma discussao do seu contexto, q as pessoas
escreveram pra uma outra lista e taquei aqui. Peço encarecidamente que nao repassem por ai. Beijos,Isa.

>Estou repassando uma msg da lista gls pra cá. É uma discussao muito boa e ilustrativa dos mais recentes embates dentro do movto. homossexual e feminsita, e acho que o jargao academico tah traduzidinho o suficiente.

>--- Em listagls em yahoogrupos.com.br, Luiz Mott

>Regina, como vai querida?

>otimo teu questionamento, pois assim voce poderia iniciar uma discussão teórica,

>já que és mestra em antropologia, a respeito do termo DIVERSIDADE SEXUAL.

>Sugiro também que, se quiseres e puderes, faça o papel de advogada de defesa do termo

>LIVRE EXPRESSÃO SEXUAL pois, diferentemetne de ORIENTAÇÃO SEXUAL, que inclui

>apenas Homo, Hetero e Bissexualidade, a Diversidade e a Livre Expressão sexual >incluem todas manifestações libidionosas, inclusive as anti-sociais e ilegais.

>Estou aberto a discussão e, dialeticamente, a mudar de ponto de vista, desde que os >argumentos sejam sólidos e convincentes, de preferencia, com embasamento bibliográfico.

>Está lançada a sugestão. Conto contigo.
>Abraço amigo, Luiz Mott


CONTEÚDO INTEGRAL AQUI:

http://archives.lists.indymedia.org/cmi-mulheres/2004-April/001006.html

http://lists.indymedia.org/pipermail/cmi-brasil-editorial/2007-March/0317-1o.html

Esta troca de e-mail aconteceu em maio/abril-2004, de fato, pode-se observar que desde então os termos 'diversidade' e 'livre expressão sexual' passaram a ser utilizados maciçamente pelo movimento homossexual e progado pela mídia ad eternum.

Fonte: Blog Jael Savelli

Militantes gays reafirmam que querem censurar cristãos e traçam estratégia pós-eleição


Em matéria publicada no site gay Mundo Mais no final de outubro, o presidente da ABGLT (Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais), Toni Reis, expõe os planos da militância gayzista a partir dos resultados das eleições de 2010. Ele avalia o novo quadro político e se mostra confiante no sucesso dos projetos gayzistas com a eleição de Dilma Rousseff (PT).

É interessante observar o cinismo nos discursos de Dilma e Toni Reis, que dizem “não querer prejudicar ninguém” e, “bondosamente”, até aceitam que religiosos possam falar de homossexualismo, mas só dentro das igrejas, como se isso fosse uma grande liberdade que eles estivessem concedendo aos cristãos.

A matéria com Toni Reis, figura atuante no lobby gay junto ao Governo e Congresso Nacional, acrescenta que religiosos não devem poder se expressar publicamente sobre o homossexualismo, muito menos nos meios de comunicação, citando o exemplo do Pr. Silas Malafaia, o qual a militância gay freqüentemente rotula como “homofóbico” e cujo programa “Vitória em Cristo” a ABGLT já tentou censurar anteriormente, além de ter solicitado ao Conselho Federal de Psicologia (CFP) punição para o pastor, que é também psicólogo.

Para enganar incautos, Toni Reis, Dilma Rousseff e companheiros gayzistas fingem “amaciar” o PLC 122, dando autorização para que religiosos se expressem, mas apenas dentro de suas igrejas, e olhe lá. Nada de cristãos abrindo o bico fora dali.

Mas as avenidas e praças públicas, escolas, TVs, rádios, jornais, além de todo o aparato estatal, permanecerão à inteira disposição dos militantes gays para fazerem propaganda de seu estilo de vida e de sua ideologia, inclusive contra os cristãos, como já vem acontecendo há bastante tempo.

Em resumo: Liberdade de expressão? Só para a militância homossexual. Censura para os religiosos e todos mais que contrariarem a agenda gay.

Continuam, espertamente, confundindo Estado laico com Estado anti-cristão — ou Estado gay. E transformando a democracia em homocracia.

Fonte: Liberdade de Expressão

Divulgação: http://www.juliosevero.com/

Papai Noel dos gays

Pr. Ademir Kreutzfeld é perseguido por alertar acerca da agenda homossexual

ABGLT entra com ações legais por crime de ódio contra Julio Severo e outros cristãos brasileiros

Brasileiros rejeitam em maioria esmagadora agenda abortista e homossexualista do partido do governo

Olavo de Carvalho fala sobre o Mackenzie e Luiz Mott

Cristãos donos de casa de hóspedes podem estar sendo vítimas de armação de ativistas homossexuais

Hilary White
BRISTOL, Inglaterra, 13 de dezembro de 2010 (Notícias Pró-Família) — Evidências dadas num tribunal municipal de Bristol hoje indicaram que um casal cristão, que é dono de uma casa de hóspedes em Cornwall, pode estar sendo vítima de uma operação armada por um grupo de militantes homossexuais. Peter e Hazelmary Bull estão sendo processados por uma dupla de homens homossexuais por causa das normas deles de não permitirem que duas pessoas não casadas ocupem o quarto de casal em sua casa de hóspedes.

Martyn Hall e seu parceiro civil Steven Preddy, que fizeram a reserva por meio de contato telefônico em setembro e tiveram uma recusa de quarto quando revelaram que eram homossexuais, estão afirmando que as normas são discriminatórias e estão requerendo 5 mil libras por danos. Os Bulls estão argumentando que deveriam ter liberdade de agir conforme suas convicções religiosas cristãs que eles seguem em seus negócios. A casa de hóspedes é também o lar do casal Bull.

No tribunal hoje, Bernie Quinn, um empregado na casa de hóspedes, insinuou que o caso inteiro foi deliberadamente orquestrado por Preddy e Hall com o apoio do grupo homossexual de pressão política Stonewall.

Quinn testificou que Stonewall estava ciente das normas da casa de hóspedes e havia escrito para os Bulls um mês antes “aconselhando-os” a mudar suas normas ou enfrentar possíveis ações legais sob a nova legislação de igualdade. Quinn disse que horas antes de Preddy fazer a reserva por telefone em setembro de 2008 ele (Quinn) havia falado com uma “Sra. Preddy” com relação a um quarto de casal.

A advogada dos gays queixantes, Catherine Casserley, perguntou ao Sr. Quinn: “Você está sugerindo que esse processo foi uma armação?”

O Sr. Quinn concordou e disse: “Isso não está fora das possibilidades. Tudo o que tenho como prova é a ligação telefônica. Não posso presumir por eles quais foram ou não as motivações deles. Presumi, recordando da ligação telefônica, que estávamos esperando um casal homem e mulher e o que chegou aqui foram dois cavalheiros”.

As despesas legais dos dois homens homossexuais estão sendo pagas pela Comissão de Igualdade e Direitos Humanos, entidade sustentada pelos cidadãos que pagam impostos e estabelecida sob o governo trabalhista [socialista] como parte das campanhas de igualdade.

A Sra. Bull explicou no tribunal que por causa da fé dela e de seu marido, eles não aprovam nenhum tipo de sexo fora do casamento, e não permitem que casais não casados de ambos os sexos durmam na mesma cama.

A Sra. Bull também confirmou que ela não tinha ideia de que os hóspedes, os quais ela conhecera a partir da chamada telefônica como “Senhor e Senhora Preddy”, eram na verdade dois homens, até chegarem à casa de hóspedes.

“Eu disse para o Sr. Quinn que eu havia alugado um quarto de casal para amanhã à noite e eu havia me esquecido de ler do começo ao fim as normas com eles e imediatamente o Sr. Quinn me assegurou que tudo ia ficar bem por causa da ligação telefônica anterior”, ela disse ao tribunal.

“Eu teria dito imediatamente que jamais eu permitiria que eles fizessem a viajem até nossa casa apenas para se desapontarem. Ficamos surpresos quando os dois cavalheiros apareceram no dia seguinte”.

O casal foi defendido numa carta ao jornal The Daily Telegraph por dois importantes bispos anglicanos, o Reverendíssimo Michael Scott-Joynt, bispo de Winchester, e o bispo aposentado de Rochester, o Reverendíssimo Michael Nazir-Ali, que expressou sua “preocupação muito grande” com a ação legal.

“A compreensão que o senhor e a senhora Bull têm acerca do casamento é a mesma da lei inglesa e da igreja cristã”, disseram eles. “A casa de hóspedes deles é o lar deles. As normas deles podem parecer tradicionais hoje em dia, mas em si não há nada de errado com essas normas”.

Traduzido por Julio Severo: http://www.juliosevero.com/

Fonte: http://noticiasprofamilia.blogspot.com/

Veja também este artigo original em inglês: http://www.lifesitenews.com/news/christian-guesthouse-owners-may-be-victims-of-a-sting-by-homosexualist-acti

Copyright © LifeSiteNews.com. Este texto está sob a licença de Creative Commons Attribution-No Derivatives. Você pode republicar este artigo ou partes dele sem solicitar permissão, contanto que o conteúdo não seja alterado e seja claramente atribuído a “Notícias Pró-Família”. Qualquer site que publique textos completos ou grandes partes de artigos de Notícias Pró-Família ou LifeSiteNews.com em português tem a obrigação adicional de incluir um link ativo para “NoticiasProFamilia.blogspot.com”. O link não é exigido para citações. A republicação de artigos de Notícias Pró-Família ou LifeSiteNews.com que são originários de outras fontes está sujeita às condições dessas fontes.

Paul Washer - O que é Salvação (Em Dois Minutos)

Association of Biblical Counselors - http://christiancounseling.com

Narth - National Association For Research & Therapy of Homosexuality

The Association of Christian Therapists - www.ACTheals.org

Christian Counseling & Educational Foundation - http://www.ccef.org

Society for Christian Psychology - http://christianpsych.org

Pela Proibição Urgente da Droga Cigarro no Brasil

História da música "Amazing Grace (Maravilhosa Graça)"

ANTES DE QUALQUER COISA, OUÇA ESTE VÍDEO E MEDITE!

OS PURITANOS

IPB

APMT

Plantango Igrejas Presbiterianas pelo Brasil